Grupo Zaffari investe R$ 35 milhões no segundo hipermercado em São Paulo

Carrefour volta para internet; os dois projetos são deslanchados apesar da crise no varejo de supermercados e do comércio em geral

Márcia De Chiara, O Estado de S.Paulo

26 Julho 2016 | 19h04

O grupo Zaffari, quinta maior rede de supermercados do País e que faturou no ano passado R$ 4,7 bilhões com 31 lojas, inaugura amanhã a segunda loja na cidade de São Paulo e a 34ª da rede. O projeto consumiu R$ 35 milhões recursos próprios, começou a ser desenhado sete anos atrás e chega ao mercado num momento em que o varejo enfrenta uma das piores crises.

 No primeiro semestre deste ano, as vendas nos supermercados brasileiros ficaram estagnadas em relação ao mesmo período de 2015, já descontada a inflação do período, segundo a Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

“Crises existem desde sempre e fazem parte do cenário comercial”, diz o diretor do grupo, Claudio Luiz Zaffari. Ele destaca que o planejamento da companhia é de médio e longo prazos e argumenta que o setor de alimentos é menos suscetível à crises.

Na mesma linha de raciocínio, o Carrefour, líder do setor de supermercados no País, com faturamento de R$ 42 bilhões em 2015, voltou ontem ao comércio online, depois de ter saído desse segmento havia quatro anos. Charles Desmartis, presidente do Carrefour no Brasil, diz que a empresa está no País desde 1975 e já presenciou várias crises na economia. Segundo ele, neste momento a retomada da economia está mais nos plano das expectativas, que ainda não se refletiram nas vendas. “Está desacelerando menos.”

Hipermercado. A nova loja do grupo Zaffari ocupa uma área  4,5 mil metros quadrados (m²) dentro do shopping Morumbi Town, do grupo Gazit, e será uma das âncoras do novo empreendimento localizado na avenida Giovanni Gronchi em frente ao shopping Jardim Sul.

 “Poderemos reviver episódios que ocorreram no passado, quando o shopping Market Place e o Morumbi Shopping, também vizinhos de frente, tiveram disputas comerciais”, observa  Luiz Alberto Marinho, sócio-diretor da GS&BW, consultoria especializada em shoppings.

O curioso é que o hipermercado começa a funcionar antes mesmo de o shopping ser inaugurado. Procurado pela reportagem, o grupo Gazit informou não tinha porta-voz para esclarecer porque o supermercados começa a funcionar sem o shopping ter sido inaugurado.

Alimentos. Mais da metade da nova loja de hipermercado será destinada à venda de alimentos, especialmente de produtos diferenciados, seguindo o que ocorre na primeira loja do grupo em São Paulo, inaugurada em 2008 dentro do Bourbon Shopping, na zona Oeste de São Paulo.

O diretor do Grupo diz que num raio de até 10 quilômetros de distância da nova loja vivem 300 mil pessoas de alto poder aquisitivo, das classes A e B. Esse mercado potencial, justifica, por exemplo, que a  loja ofereça cerca 300 rótulos diferentes de cerveja.

“Estamos olhando oportunidades”, diz Zaffari. Ele diz que para ter uma melhor qualidade na composição das vendas acha importante ter entre três a quatro lojas em São Paulo. Agora com 34 lojas  em funcionamento, 32 estão localizadas no Estados do Rio Grande do Sul.

Além do dos dois hipermercados, o grupo gaúcho arrematou num leilão o terreno ocupado pelo estádio do Guarani no centro de Campinas (SP). Desembolsou R$ 105 milhões. “No momento estamos aguardando a tramitação na Justiça para decidir o que será feto com o terreno.” Segundo Zaffari, a área comporta  mais do que um hipermercado e provável que abrigue um shopping ou um projeto multiuso.

Mais conteúdo sobre:
Zaffari Carrefour Varejo Internet

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.