Grupos em compasso de espera

O presidente da Previ, Sérgio Rosa, admitiu ontem que um atraso na mudança do PGO pela Anatel pode afetar a gestão das empresas. "Claro que influencia os planos de longo prazo. Elas (as companhias) ficam esperando que a novidade se confirme e, com isso, se possa integrar os dois sistemas, integrar as equipes. Para que se possa fazer um planejamento", afirmou. O presidente da Previ ressaltou que a operação de compra anunciada no final de abril prevê uma administração totalmente independente para as duas empresas até o aval da Anatel. Entretanto, as companhias sabem que têm no horizonte uma possibilidade de fusão. "Acho que ainda não se pode falar em demora", disse. Mas, para ele, o órgão regulador precisa ter em mente a importância da agilidade na definição de regras para a garantia do bom funcionamento do mercado de telefonia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.