Beto Barata/PR
Beto Barata/PR

Guardia diz que não há discussão sobre meta de inflação para 2021

Novo ministro da Fazenda negou que o governo teria decidido fixar a meta em 3,75%: 'Essa informação está errada'

Lu Aiko Otta, Carla Araújo e Fabrício de Castro, O Estado de S.Paulo

12 Abril 2018 | 13h36

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, negou de forma enfática nesta quinta-feira, 12, que o governo tenha decidido ou sequer discutido a meta de inflação para 2021.

+ Minoritário reclama na CVM para ter candidato a Conselho de Administração da Braskem

"Essa informação está errada", afirmou ele, referindo-se a notícia publicada no jornal O Globo, segundo a qual o governo teria decidido fixar a meta de 2021 em 3,75%.

"Não estamos discutindo esse tema", afirmou. Guardia disse que a suposta meta de 3,75% não partiu de nenhum dos membros do Conselho Monetário Nacional (CMN), formado por ele próprio, o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, e o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.

+ Proposta do governo veta segundo mandato para diretores do BC

"Não reconhecemos o número. Não tenho a menor ideia de onde apareceu esse número." Ele não quis discutir se o número seria ou não adequado.

Pela manhã, o Banco Central afirmou, por meio de nota, que a meta de inflação para 2021 ainda não está definida. "A discussão sobre a referida meta ainda não foi iniciada e, como é de conhecimento púbico, ela somente será definida e comunicada na reunião do CMN marcada para o dia 26 de junho", diz.

De acordo com a nota do BC, "os membros do Conselho Monetário Nacional (CMN) esclarecem que não é verdadeira a informação divulgada, por veículo da imprensa, de que a meta de inflação de 2021 já esteja definida".

A meta de inflação para 2018 está fixada em 4,5%. Para 2019, a meta é de 4,25% e, para 2020, de 4%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.