Beto Barata/PR
Beto Barata/PR

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Guardia diz que não há discussão sobre meta de inflação para 2021

Novo ministro da Fazenda negou que o governo teria decidido fixar a meta em 3,75%: 'Essa informação está errada'

Lu Aiko Otta, Carla Araújo e Fabrício de Castro, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2018 | 13h36

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, negou de forma enfática nesta quinta-feira, 12, que o governo tenha decidido ou sequer discutido a meta de inflação para 2021.

+ Minoritário reclama na CVM para ter candidato a Conselho de Administração da Braskem

"Essa informação está errada", afirmou ele, referindo-se a notícia publicada no jornal O Globo, segundo a qual o governo teria decidido fixar a meta de 2021 em 3,75%.

"Não estamos discutindo esse tema", afirmou. Guardia disse que a suposta meta de 3,75% não partiu de nenhum dos membros do Conselho Monetário Nacional (CMN), formado por ele próprio, o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, e o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.

+ Proposta do governo veta segundo mandato para diretores do BC

"Não reconhecemos o número. Não tenho a menor ideia de onde apareceu esse número." Ele não quis discutir se o número seria ou não adequado.

Pela manhã, o Banco Central afirmou, por meio de nota, que a meta de inflação para 2021 ainda não está definida. "A discussão sobre a referida meta ainda não foi iniciada e, como é de conhecimento púbico, ela somente será definida e comunicada na reunião do CMN marcada para o dia 26 de junho", diz.

De acordo com a nota do BC, "os membros do Conselho Monetário Nacional (CMN) esclarecem que não é verdadeira a informação divulgada, por veículo da imprensa, de que a meta de inflação de 2021 já esteja definida".

A meta de inflação para 2018 está fixada em 4,5%. Para 2019, a meta é de 4,25% e, para 2020, de 4%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.