Clauber Cleber Caetano/PR
Clauber Cleber Caetano/PR

Guedes permite acordo para evitar descontos em salários de servidores em greve

Várias categorias do funcionalismo público estão em greve, paralisação ou operação-padrão em protesto por reajustes salariais

Luci Ribeiro, O Estado de S.Paulo

05 de maio de 2022 | 11h45

Brasília - O ministro da Economia, Paulo Guedes, delegou aos secretários especiais a competência para celebrar acordos que permitam a compensação, por servidores, de horas não trabalhadas "decorrentes da paralisação por exercício do direito de greve" e, assim, não haja desconto em suas remunerações. 

A norma foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, 05, em um momento que várias categorias do funcionalismo público fazem greves, paralisações ou operações-padrão em protesto por reajustes salariais. A mobilização é feita pelos servidores do Banco Central, Tesouro Nacional e Receita Federal, entre outros.

Em nota, o Ministério da Economia informa que a portaria atende a recomendações do Tribunal de Contas da União (TCU). "Essa ação visa ainda a evitar ocorrência de irregularidades na compensação de horas do período não trabalhado de alguns servidores, como constatados pelo TCU, entre os anos de 2017 e 2018, e pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ)", diz a pasta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.