José Cruz/ Agência Brasil
José Cruz/ Agência Brasil

Guedes critica Itamaraty pelo fato de economia brasileira ser tão fechada

Em evento, ministro disse que está discutindo a 'modernização do Mercosul'; tentativa é de reduzir a tarifa comum de importação

Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2021 | 17h18

BRASÍLIA - O ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou o Ministério das Relações Exteriores e o ministério liderado por ele por permitirem que a economia brasileira se mantenha fechada “por 30 anos”. Em cerimônia nesta quinta-feira, 30, no Itamaraty, Guedes disse que o Brasil é uma das economias mais fechadas do mundo.

É uma falha de todos nós", disse. "O Itamaraty é o grande condutor, como permitiu esse fechamento (da economia brasileira)?" Guedes falou em evento que marca o lançamento do Pavilhão do Brasil na Expo 2020 Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

O ministro disse também que o Brasil está discutindo a "modernização do Mercosul". As mudanças no bloco são justamente o pano de fundo das críticas de Guedes. Como já mostrou o Estadão/Broadcast, o ministro pressiona a Argentina a reduzir a Tarifa Externa Comum (TEC) do Mercosul, que é a taxa cobrada pelos integrantes para importar produtos de fora do grupo .

No início do ano, Guedes queria uma redução de 20% na TEC, hoje, em média, em 14%. Agora, já fala em reduzir 10%. O ministro quer que isso seja feito até o fim do ano, período em que o Brasil está à frente da presidência do Mercosul, mas, como as mudanças de regras têm de ser feitas por unanimidade, vem enfrentando dificuldades.  Guedes disse ainda  que o evento em Dubai é uma oportunidade de o Brasil se conectar ao Oriente Médio e à Ásia. “Estamos nos conectando com uma região que pode ser não só um hub de exportações, mas também de recebimento de investimentos financeiros." Em um momento em que o Mercosul negocia um acordo comercial com a Índia, Guedes disse que o Brasil tem tudo para se aproximar do país, assim como fez com a China.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.