Guedes defende mudanças no modelo agrícola brasileiro

O ministro da Agricultura, Luís Carlos Guedes Pinto, voltou a defender nesta terça-feira uma mudança no modelo agrícola do País. A idéia é que o governo incentive a contratação do seguro rural e a entrada dos produtores no mercado de futuros. Com essas iniciativas, o governo não seria obrigado a socorrer os produtores sempre que houvesse crise. "Se o produtor não se proteger, o problema é dele", afirmou. De acordo com o ministro, o socorro feito por meio de renegociação de dívidas e do apoio à comercialização de grãos custou R$ 3 bilhões por ano ao governo federal nos últimos sete anos. Só em 2006, o governo autorizou a renegociação de R$ 20 bilhões em dívidas. O apoio à comercialização custou R$ 3,2 bilhões ao cofre público, montante suficiente para apoiar o escoamento de 23 milhões de toneladas de grãos. "Existe uma cultura de que crise significa renegociação de dívida e apoio à comercialização, o que significa concentração de renda", avaliou ele ao fazer palestra no Instituto Rio Branco, em Brasília. Para baratear os custos para permanência dos produtores no mercado de futuros, ele contou que negocia com o Ministério da Fazenda a isenção de PIS/Cofins para as operações nas bolsas de futuros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.