Guedes diz que é cedo prever a produção de grãos

Apesar de admitir que pode haver "alguma redução" na área plantada da safra de grãos 2006/2007, o ministro da Agricultura, Luís Carlos Guedes Pinto, afirmou que ainda é muito cedo para se fazer qualquer previsão. "Prefiro aguardar o primeiro levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que deverá sair no início de outubro, e aí sim poderemos avaliar a situação", afirmou Guedes Pinto, em Juazeiro (BA), onde participou da inauguração da primeira biofábrica de produção de moscas do País - a Moscamed Brasil.O ministro ressaltou que já existem algumas estimativas no mercado de que a área plantada poderá ter uma queda de 10% a 15% na próxima safra. Mas reafirmou que isso é prematuro. O plantio da próxima safra começará em setembro e se estenderá até dezembro nas principais regiões produtoras de grãos no País, principalmente na região centro-sul.Guedes Pinto disse também que existem estimativas no mercado de que pode cair o nível da tecnologia empregada pelos produtores na próxima safra. Essas estimativas se baseiam no fato de que houve uma queda de renda do produtor rural nos últimos dois anos, por conta da seca, da queda dos preços das commodities e da valorização do real em relação ao dólar. O raciocínio é de que com a redução dos recursos, o produtor rural compraria menos insumos como fertilizantes e inseticidas.Apesar de admitir que de fato a venda desses insumos caiu um pouco, Guedes ponderou que também no caso da tecnologia é preciso aguardar muito mais para fazer previsões. Ele afirmou que o fator fundamental que vai definir a situação da safra, que foi determinante nos últimos anos, é o clima. "Se as chuvas se distribuírem razoavelmente, talvez nós tenhamos na safra 2006/2007 uma manutenção da produção de grãos, no mesmo nível da safra passada", afirmou.Além disso, segundo o ministro, o governo espera que os preços das commodities agrícolas não caiam e que existe até uma expectativa de recuperação desses preços. "Por tudo isso eu acho cedo para fazer previsões".Sobre a crise que o setor agrícola vem enfrentando, Guedes disse que várias lideranças do setor rural reconhecem que o governo vem dando um apoio muito grande ao setor para a superação dessa crise. "Esse apoio se manifestou, por exemplo, na renegociação de dívidas da ordem de R$ 20 bilhões e no apoio à comercialização. Neste ano estamos investindo R$ 2,450 bilhões no apoio à comercialização.", afirmou o ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.