Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Guedes diz que reforma administrativa pode ser enviada para o Congresso na sexta ou após o carnaval

Segundo o ministro da Economia, texto está com o presidente Jair Bolsonaro, para os últimos ajustes

O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2020 | 15h20

BRASÍLIA - O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quinta-feira, 20, que o presidente Jair Bolsonaro está fazendo os últimos ajustes na proposta de reforma administrativa, que poderá ser enviada para o Congresso Nacional “amanhã (sexta-feira) ou depois do Carnaval”.

“Está com o presidente. Ele está fazendo os últimos toques dele lá. (O envio para o Congresso Nacional) pode ser amanhã, pode ser depois do carnaval. Ele está fazendo os últimos ajustes”, disse Guedes, enquanto caminhava do Ministério da Defesa para o Ministério da Economia. Os prédios são vizinhos na Esplanada.

Mais cedo nesta quinta, Bolsonaro afirmou que a reforma administrativa está "madura", embora ainda não esteja pronta. Ele também defendeu o atraso no envio da proposta ao Congresso. 

Segundo o presidente, de nada adianta o governo enviar a matéria e depois ter que pedir modificações no texto aos parlamentares.

Reforma tributária

Bolsonaro afirmou que espera que a reforma tributária seja aprovada ainda este ano. Ele brincou que os integrantes da comissão mista que analisará a proposta no Congresso devem ser "excelentes economistas".

"Fizeram uma comissão mista com 60 parlamentares. Eu fico muito feliz que é sinal que existe na Câmara e no Senado excelentes economistas", disse o presidente em discurso na cerimônia de lançamento da nova linha de crédito imobiliário da Caixa. O colegiado, no entanto, é formado por 25 deputados e 25 senadores.

"Espero que esse ano a gente conclua essa reforma. 28 anos na Câmara e não se chegou a lugar nenhum", disse. / LORENNA RODRIGUES, EDUARDO RODRIGUES, JULIA LINDNER E AMANDA PUPO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.