Sergio Lima/AFP
Sergio Lima/AFP

coluna

Carolina Bartunek no E-Investidor: 5 tendências prejudiciais para quem investe em ações

Guedes enfrenta artilharia da oposição na CCJ

Ministro da Economia foi chamado de o 'último Gatorade do deserto' pelo deputado Reginaldo Lopes (PT-MG)

Adriana Fernandes, Idiana Tomazelli e Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2019 | 15h43

Brasília - O ministro da Economia, Paulo Guedes, enfrentou uma artilharia da oposição no início da audiência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) sobre a proposta de reforma da Previdência encaminhada pelo governo Bolsonaro. Os deputados da oposição não deram trégua ao ministro na fase de sequência de perguntas, que acontece nesta quarta-feira, 3. 

Parlamentares do PT, do PDT, do PSOL e do PSB foram os principais protagonistas da fase inicial da audiência. Guedes chegou a bater boca com alguns deles, mas logo depois conseguiu “esfriar” a temperatura e pediu desculpas em uma das vezes em que se exaltou.

A avaliação preliminar na área econômica, segundo apurou o Broadcast, é a de que o ministro tem um “bom desempenho” na audiência, pois mesmo nos momentos mais tensos soube escapar da tentativa da oposição de envolvê-lo num bate-boca ainda maior.

O deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) disse que Guedes é mais perverso do que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso quando fez mudanças no sistema de Previdência.

Lopes afirmou que o ministro “faltou com a verdade” ao afirmar que o governo gasta R$ 700 bilhões com a Previdência Social. Para o deputado, parte desses recursos foi para pagamento da seguridade social. 

Aos gritos e batendo na mesa, Lopes disse que Guedes havia mentido: “É seguridade social”, berrou. O presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), teve que conter mais um início de bate-boca e pediu respeito ao ministro.

O deputado do PT acusou a mídia de tratar o ministro da Economia como último “gatorade do deserto” e afirmou que esperava uma apresentação mais técnica de Guedes.

O deputado Silvio Costa Filho (PRB-PE) interrompeu a audiência dizendo que os parlamentares não davam um bom exemplo ao atacar Paulo Guedes de forma desrespeitosa. Foi vaiado e aplaudido.

O deputado Alencar Santana Braga (PT-SP) disse que o governo “vive com base na mentira” e questionou a intenção de Guedes de propor o sistema de capitalização. 

“Se o sistema atual que tem três financiando (trabalhador, empregador e governo) está falido, como vai ficar a capitalização em que só o trabalhador contribui?”, indagou. 

Ele ainda provocou o ministro sobre a proposta dos militares, que foi apresentada separadamente. “Por que os militares não vão para a capitalização se ela é tão boa?”, questionou. 

Paulo Guedes na CCJ AO VIVO

Acompanhe aqui outras informações sobre a presença do ministro da Economia na CCJ da Câmara dos Deputados para debater reforma da Previdência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.