Guedes nomeia assessores no Ministério da Agricultura

O novo secretário-executivo do Ministério da Agricultura será Luiz Gomes. O ato de sua nomeação será publicado no Diário Oficial de quinta-feira. Luiz Gomes era assessor de Luiz Carlos Guedes Pinto na secretaria-executiva do Ministério. Na segunda-feira, Guedes foi empossado como novo ministro da Agricultura em substituição a Roberto Rodrigues.Também será publicada amanhã no Diário Oficial a exoneração de Ivan Wedekin do cargo de Secretário de Política Agrícola. Wedekin, que disputou com Luiz Carlos Guedes Pinto a indicação de substituto de Roberto Rodrigues, pediu demissão alegando que se dedicaria a projetos pessoais. Ele será substituído por Edilson Guimarães, que era diretor do Departamento de Economia Agrícola do Ministério da Agricultura. Wedekin dará entrevista amanhã, às 11 horas, para explicar os motivos de sua saída e fazer um balanço de sua gestão.Ex-ministro na Alemanha Depois de ter pedido demissão do Ministério da Agricultura o ex-ministro Roberto Rodrigues embarca na noite de quinta-feira para a Alemanha com a função de representar o agronegócio brasileiro no país da Copa do Mundo. Rodrigues vai participar Campanha do Agronegócio e do Alimento Brasileiro e participará do Encontro Econômico Brasil-Alemanha, promovido pela Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK), quando recebe o Prêmio Personalidade Brasil-Alemanha 2006. A participação do ex-ministro nesses eventos foi autorizada nesta quarta-feira por ato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o novo ministro da Agricultura, Luís Carlos Guedes Pinto, publicado no Diário Oficial.É a primeira vez que um ex-ministro recebe esse tipo de atribuição, mas, segundo assessores do ministério, não há impedimento legal. "Se o novo ministro e o presidente concordaram está tudo bem", comentou um funcionário do ministério. Nesta quarta-feira, assessores do ministério se preocuparam em explicar a participação do ministro argumentando que o objetivo é evitar a descontinuidade das ações do governo no exterior. "A ida do ministro tem o objetivo de evitar a descontinuidade da proposta do governo de divulgar os produtos agrícolas brasileiros no exterior", disse uma fonte. A viagem do ministro estava programa há mais de um ano, mas " por um acidente de percurso Rodrigues saiu antes do governo", comentou um técnico. Rodrigues deixou o governo na sexta-feira passada e sua saída foi atribuída, entre outros motivos, a recusa de fazer campanha eleitoral em favor de Lula e às discussões, na Casa Civil, da proposta que reformula os índices de produtivos aplicados às propriedades rurais para efeito da Reforma Agrária. Como o setor enfrenta uma crise financeira, Rodrigues se posicionou contra essa modificação nos critérios porque jogaria um maior número de fazendas seria relacionada no programa de reforma agrária do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.