coluna

Louise Barsi: O Jeito Waze de investir - está na hora de recalcular a sua rota

Guedes Pinto é confirmado como novo ministro da Agricultura

O ministro da Coordenação Política, Tarso Genro, confirmou nesta sexta-feira o nome do agrônomo Luis Carlos Guedes Pinto como novo ministro da Agricultura. Ele ocupa atualmente o cargo de secretário-executivo do Ministério da Agricultura e substituirá o ex-ministro Roberto Rodrigues, que pediu demissão na terça-feira. "Não haverá ruptura nos trabalhos do ministério", garantiu Genro. Segundo ele, Guedes Pinto está integrado à equipe do governo e é homem de confiança do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A posse será na próxima segunda-feira às 17 horas.HistóricoGuedes Pinto é um técnico ligado ao PT que, na avaliação do Planalto, tem competência e não causa problemas. Em todas as trocas de ministros que no fim de março saíram para disputar as eleições, Lula preferiu preencher as vagas com os secretários-executivos. Motivo: não quis abrir negociações e estimular a guerra entre os partidos de sua base de sustentação no Congresso no fim do mandato.Além do próprio Roberto Rodrigues, tem como padrinho o ex-ministro de Segurança Alimentar e Combate à Fome, José Graziano. Em 2003, o atual secretário-executivo da Agricultura ocupou a presidência da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Defende a reforma agrária, mantém bom relacionamento com o Movimento dos Sem-Terra (MST) e com os ministros da área social, mas também tem ótimo trânsito com os titulares da equipe econômica.Atuação de RodriguesNa sua passagem pelo ministério da Agricultura, a grande briga de Roberto Rodrigues foi por recursos, seja para custear as atividades da pasta ou para financiar os produtores. Uma das principais dificuldades enfrentadas diz respeito à Defesa Sanitária, pois os cortes feitos pelo Ministério da Fazenda no orçamento reduziram os recursos disponíveis para a atividade. O sinal mais claro de que faltava dinheiro para a Defesa foi a descoberta de 41 focos de febre aftosa no rebanho bovino do Mato Grosso do Sul e no Paraná no ano passado. Antes disso, já no seu primeiro ano a frente do Ministério, Rodrigues teve que conviver com um foco da doença no Pará, que não é uma região tradicional de pecuária. Por isso, os focos do ano passado foram um duro golpe para o Ministro.Este texto foi atualizado às 13h23, com alteração do horário de posse do ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.