Guerra de preços nas ligações internacionais

Recomeçou a guerra de preços nas ligações de longa distância internacional. Na sexta-feira, a Intelig lançou uma promoção com tarifa de R$ 0,19 por minuto nas chamadas para os Estados Unidos e a Itália. A concorrente Embratel anunciou ontem promoções em seus planos alternativos, que são utilizados principalmente por empresas. As promoções terminam na próxima quinta-feira. A Embratel está cobrando o mesmo preço da Intelig para os clientes do plano VipPhone Internacional. Para os planos Ligue DDI 21 e Passaporte 21, que oferecem descontos adicionais, o preço do minuto para os EUA e a Itália está em R$ 0,20. Os valores das promoções não incluem impostos. "No ano passado, a Intelig lançava uma promoção e a concorrente copiava. Se eles fizerem alguma coisa agora, vão levar o troco", disse o diretor de marketing da Intelig, Kleber Meira, antes de a Embratel anunciar sua promoção. Sobre a lucratividade das promoções, o executivo ressaltou que a Intelig já fez isso antes, e que deu certo. "Ninguém rasga dinheiro aqui." De acordo com Meira, a operadora elevou sua participação de mercado de 15% para 25% nas ligações internacionais com as promoções de 2001. Por ser a operadora dominante em longa distância, a Embratel é a empresa que mais tem a perder com a guerra de preços. De acordo com o Yankee Group, num cenário onde a queda de preços é compensada pelo crescimento, a Embratel pode perder entre 15% e 23% das receitas de longa distância, principalmente para a Telefônica e a Telemar. Mais de 70% das receitas da operadora têm origem na longa distância. A entrada da Embratel na telefonia local compensaria somente parte das perdas. Corporações"Tanto a Embratel quanto a Intelig querem se fortalecer no mercado corporativo, antes da entrada de novas concorrentes", afirmou Adriana Menezes, analista de telecomunicações do Yankee Group. Nos próximos meses, a Telefônica e a Telemar devem começar a atuar também nos mercados de longa distância nacional e internacional.Com o objetivo de consolidar sua presença no segmento corporativo, a Vésper anunciou ontem um plano alternativo de longa distância. O plano, chamado LD Flat, prevê somente duas tarifas: uma para ligações entre telefones fixos e outra para chamadas de fixo para celular. A Vésper opera longa distância intra-regional. Ou seja, limitada ao Estado para os clientes em São Paulo ou entre cidades de 16 Estados que formam a outra região onde atua, que também é atendida pela Telemar. De acordo com o vice-presidente executivo da Vésper Business, Rance Hesketh, o novo plano permite que o cliente pague até 40% a menos em suas ligações. A operadora planeja solicitar à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) licenças para operar também os serviços de longa distância nacional e internacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.