Guia ajuda investidor a construir seu patrimônio

Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Conteúdo Patrocinado

Guia ajuda investidor a construir seu patrimônio

Profissional auxilia a filtrar oportunidades e definir melhores investimentos

Guide Investimentos, Media Lab Estadão
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

26 de outubro de 2020 | 10h17

Construir um patrimônio que garanta uma aposentadoria tranquila ou que faça frente a um momento de imprevisto é um dos principais desafios dos brasileiros. “Dado o que a gente viu nos últimos 20 anos de sofisticação do mercado, ter um profissional ajudando e filtrando as oportunidades do mercado é muito importante para garantir melhores retornos nos seus investimentos”, avalia o presidente da Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (Planejar), Jan Karsten. “Outro ponto relevante é que, com o nível de juros praticados, a necessidade de sofisticação no portfólio para ter ganho nos próximos cinco ou dez anos só fica mais difícil, e o papel de um profissional é essencial.”

O profissional comenta que, normalmente, são três os destinos para os recursos que estão sendo acumulados ao longo dos anos. O primeiro é fazer frente aos gastos de 12 meses, caso ocorra algum imprevisto financeiro. Depois, ter patrimônio suficiente para chegar à velhice com recurso para ter uma aposentadoria digna. E, no limite, deixar um legado, herança ou valores para a filantropia. E destaca que o guia tem como meta ajudar o investidor a alcançar os seus objetivos financeiros.

Investindo com um guia

Para Felipe Steinfeld, head B2C da Guide Investimentos, o assessor vai ajudar a guiar o cliente, fazer transferência de educação financeira e de conhecimento e contribuir na tomada de decisões. “Um risco que a maioria dos clientes que optam por fazer tudo sozinho acaba correndo é tomar decisão de investimento baseada em retorno passado, sem levar em consideração que os cenários atual e futuro são diferentes daqueles no qual esses investimentos performaram”, diz. Ele comenta que outro grande erro é fazer uma composição de carteira com vários investimentos que performaram bem no passado, e o investidor tem percepção de que o risco é baixo porque todos tiveram janela boa de retorno. “Mas, quando você tem um risco diferente do que aconteceu, a volatilidade pode ser grande e até levar a perdas. E, por não ter nenhum tipo de apoio, acaba resgatando e vendendo ação no pior momento e gerando perda de capital permanente, que dificilmente recupera no futuro.”

Além de ajudar na definição do portfólio, o guia tem ainda o papel de trazer valor e transferir conhecimento para o investidor, para juntos avaliarem se a tese escolhida é a melhor opção para alcançar os seus objetivos.

Ouça o segundo episódio do Podcast da Guide Investimentos 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.