Há 10 anos sem casos, São Paulo pede fim de embargo à UE

A Secretaria de Agricultura de São Paulo solicitou hoje ao Ministério da Agricultura a retirada do Estado junto à União Européia da lista das regiões cuja exportação de carnes foi embargada. O secretário Antônio Duarte Nogueira Júnior encaminhou ao ministro Roberto Rodrigues, para que ele envie aos técnicos no Ministério que estão na Europa, um ofício com uma série de informações técnicas que justificariam o fim do embargo.De acordo com ele, São Paulo completará, em maio, 10 anos sem casos de febre aftosa, e há cinco semestres possui índice de vacinação superior a 99% do rebanho. O Estado, apesar de ter o quinto rebanho bovino do País, é responsável por 70% das exportações brasileiras de carne.Nogueira salientou que foram feitas barreiras nas divisas com Mato Grosso do Sul, com a presença de médicos veterinários, agentes de fiscalização sanitária e policiais, e que a entrada de qualquer tipo de material de origem animal de Mato Grosso do Sul está proibida. Por fim, o secretário informou que manteve contato hoje com o ministro Rodrigues, e que ele prometeu empenho para retirar São Paulo da lista de estados com exportações suspensas pela UE.Carga de frango paradaO presidente da Associação Paulista da Avicultura (APA), Erico Pozer, afirmou hoje que carretas com cargas de frango abatido em São Paulo estão paradas na divisa entre Santa Catarina e o Paraná devido ao fechamento da divisa por parte dos catarinenses. De acordo com Pozer, a carga seria comercializada no Rio Grande do Sul. O presidente do APA espera que o impasse seja resolvido amanhã na reunião dos secretários de agricultura que ocorrerá em Brasília."Nós emitimos um comunicado aos nossos associados para que evitem enviar cargas para a região Santa Catarina até que a situação seja resolvida, o que esperamos que ocorra até segunda-feira", disse. O dirigente disse ainda que cargas com material vegetal também estão paradas na divisa dos dois estados mas não soube estimar qual seria o número de veículos envolvidos.Desde terça-feira (11), Santa Catarina impede a entrada de produtos animais e vegetais por conta do aparecimento de foco de febre aftosa no Mato Grosso do Sul. O Estado é o único no País a ter status de área livre de aftosa sem vacinação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.