coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Há mais espaço para queda dos juros, diz Mantega

Segundo ministro da Fazenda, porém, economia não vai parar de crescer por causa de pausa no corte da Selic

Nalu Fernandes, da Agência Estado,

18 de outubro de 2007 | 19h24

Há mais espaço para a queda da taxa básica de juros do País, a Selic, na avaliação do ministro da Fazenda, Guido Mantega. Segundo ele, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) vai retomar os cortes quando achar conveniente. "A economia não vai parar de crescer por causa desta interrupção", afirmou. "Do ponto de vista macroeconômico, esta interrupção de queda não tem nenhuma repercussão prática", afirmou. Além de observar o aquecimento da demanda e o crescimento do crédito, o ministro destacou a defasagem dos efeitos da política monetária, observando que os cortes já realizados pelo Copom ainda exercerão "efeitos benéficos sobre a economia" por mais seis meses. "Não se trata de aumento da taxa. Apenas não houve nova redução depois de dois anos de redução ininterrupta", afirmou Mantega. Apesar de observar que é preciso esperar a divulgação da ata do Copom para entender as razões que levaram o Banco Central a interromper a trajetória de queda, Mantega estima que "tem espaço para cair mais a taxa de juro".  O ministro acredita que nos próximos anos a taxa de juro doméstica será "compatível" com a dos demais países emergentes. "A taxa de juro real chegará em 5,0% a 5,5% nos próximos anos", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Guido MantegaJurosCopom

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.