Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Há um pouco de especulação na alta da inflação, diz economista

O economista da PUC do Rio de Janeiro Luiz Roberto Cunha acredita que em 2003 a inflação ficará entre 8% e 10%, desde que mantida a rigidez sob o ponto de vista fiscal e a desindexação de salários. Em entrevista ao programa Bom Dia Brasil, da TV Globo, Cunha definiu como ruim a atual situação da economia, com a alta taxa dos juros, que deveria estar controlando a inflação, a demanda em baixa e a inflação subindo. Segundo o economista existem produtos que são influenciados diretamente pela alta do dólar, como os derivados de soja e de trigo. "Mas há um pouco de especulação em alguns desses segmentos", admitiu. "A variável crítica é o câmbio. Na verdade nós tivemos pela primeira vez uma alta prolongada e nos últimos dois meses ela se sustentou num patamar de R$ 3,80 com perspectivas mais altas. Aí, de fato, os diques romperam e algumas altas que não têm a ver com o câmbio começaram a pressionar", observou. Para Luiz Roberto Cunha, assim que forem definidos os nomes do ministro da Fazenda e do presidente do Banco Central o câmbio deverá voltar para R$ 3,30 ou R$ 3,40. "Abaixo disso parece difícil", prevê o economista.

Agencia Estado,

13 de novembro de 2002 | 09h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.