finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Habitação e Alimentação desaceleram alta do IPC-S

Indicador reduziu ritmo de alta e subiu 0,57% na 2ª semana de abril 

Denise Abarca, da Agência Estado,

16 de abril de 2012 | 09h31

A inflação apurada pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) reduziu o ritmo de alta e subiu 0,57% na segunda quadrissemana de abril, período compreendido entre os dias 16 de março e 15 de abril de 2012, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Na quadrissemana anterior, a variação havia sido positiva em 0,58%.

De acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), entre os oito grupos que compõem o IPC-S, os preços de Habitação e Alimentação foram os únicos a apresentarem desaceleração na segunda quadrissemana de abril.

O grupo Habitação passou de 0,87% para 0,70%, com destaque para a nova desaceleração do item Empregada Doméstica Mensalista (3,55% para 2,60%). A alta de Alimentação foi de 0,64% para 0,52%, influenciada sobretudo por Frutas (5,06% para 2,57%).

Na contramão, o item Despesas Diversas acelerou de 0,46% para 1,56%, com alta uma vez mais puxada por Cigarros (0,78% para 3,85%); a queda de preços em Comunicação (-0,25% para -0,02%) perdeu força, graças a Tarifa de Telefone Residencial (-1,03% para -0,33%) e Educação, Leitura e Recreação (0,24% para 0,34%), com destaque para Clubes e Parques (1,93% para 2,94%).

A inflação também subiu em Saúde e Cuidados Pessoais (0,76% para 0,83%), movimento determinado principalmente por Artigos de Higiene e Cuidado Pessoal (1,32% para 1,49%); Vestuário (0,86% para 0,93%), em que se destacou o item Acessórios do Vestuário (0,04% para 0,84%); e Transportes (0,30% para 0,31%), com Tarifas de Táxi (-1,30% para -0,72%) se destacando.

Entre os itens com maiores influências positivas para o IPC-S na segunda quadrissemana, Empregada Doméstica Mensalista se manteve no topo do ranking, mesmo tendo desacelerado a alta de 3,55% para 2,60%. Na sequência, aparece Cigarros (0,78% para 3,85%), Refeições em Bares e Restaurantes (0,74% para 0,56%), Aluguel Residencial (0,91% para 0,82%) e Serviço de Reparo em Automóvel (1,80% para 2,12%).

Entre os itens com maiores influências negativas, a exemplo da leitura anterior, liderou a lista Automóvel Usado (-0,47% para -0,60%); Passagem Aérea (-4,60% para -3,89%), Tomate (-2,01% para -5,37%), Banana Prata (-1,27% para -4,52%) e Alcatra (-2,99% para -2,46%).

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoIPC-S

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.