Yuriko Nakao/Reuters
Yuriko Nakao/Reuters

Hackers roubam dados de usuários do PlayStation

Segundo a Sony, 77 milhões de pessoas podem ter sido afetadas e não está descartado o roubo dos números de cartões de crédito

Carla Peralva, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2011 | 00h00

A Sony disse ontem que dados pessoais de seus usuários ficaram expostos, depois que um ataque hacker tirou do ar a PlayStation Network há uma semana. Dados como nome, endereço, e-mail, data de aniversário, senha, login, pergunta de segurança e histórico de compras, entre outros, puderam ser acessados pelos hackers que conduziram o ataque, segundo afirmou o grupo em comunicado.

A PlayStation Network tem cerca de 77 milhões de assinantes no mundo, que acessam o serviço em seus consoles, como o PlayStation 3 e o portátil PSP, para comprar e baixar jogos e até filmes e séries de TV.

A fabricante do PlayStation 3 afirmou não haver evidências de que os números de cartões de crédito tenham ficado expostos, mas não descartou essa possibilidade. E fez um alerta aos usuários: "Nós estamos advertindo vocês que seu número de cartão de crédito (excluindo o código de segurança) e a data de expiração podem ter sido obtidos", diz a empresa, em um post no blog do PlayStation.

As informações dos usuários da PlayStation Network e da rede do serviço Qriocity, que fornece áudio e vídeo para os consumidores de produtos da Sony e também foi atacada por hackers, ficaram comprometidos entre 17 e 19 de abril, segundo a companhia.

No comunicado, a Sony explica que é possível emitir alertas de fraude para as contas do cartão de crédito por meio de três empresas dos Estados Unidos, o que foi recomendado pela empresa. A Sony também aconselha seus usuários a ficar atentos para ligações, mensagens e correspondências que peçam informações pessoais e prometam resolver o caso.

"A Sony não vai entrar em contato com você de nenhuma forma, incluindo e-mail, pedindo o número do cartão de crédito, código de segurança ou outras informações de identificação pessoal", disse, em nota.

A empresa disse que pode restaurar alguns dos serviços de suas redes em uma semana.

Prejuízo. No Brasil, a rede dos consoles da Sony nunca foi lançada, apesar da promessa da empresa em agosto do ano passado, quando foi anunciado oficialmente o início da venda do PS3 no País. Muitos usuários, porém, se cadastram usando endereços nos Estados Unidos e números de cartões de crédito internacionais.

Em nota, a Sony Brasil lamentou o prejuízo à privacidade dos usuários. "Lamentamos que a PlayStation Network e os serviços Qriocity estejam suspensos e informamos que estamos trabalhando com toda a dedicação para que os dois voltem ao ar o quanto antes", afirmou a empresa, que não deu detalhes sobre a quantidade de usuários afetada no País.

"Os nossos esforços para resolver essa questão envolvem a reconstrução de nosso sistema para reforçar ainda mais a nossa infraestrutura de rede. Embora essa tarefa seja demorada, decidimos que é preciso todo o tempo necessário para fornecer um sistema com segurança." / COM REUTERS

Público

77 milhões

de assinantes em todo o mundo tem o serviço Playstation Network, no qual os usuários

podem comprar e baixar jogos e filmes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.