Haia decide sobre fábricas de celulose no Uruguai

O Tribunal Internacional de Justiça (CIJ), com sede em Haia, na Holanda, vai pronunciar-se na próxima quinta-feira sobre o pedido de medida cautelar apresentado pelo governo da Argentina, solicitando a suspensão das obras das plantas de celulose na cidade uruguaia de Fray Bentos, às margens do rio Uruguai. A informação é de uma alta fonte do governo à agência oficial de notícias Télam. O Tribunal decidirá se aceita ou não a suspensão das obras e também poderia oferecer uma solução para a controvérsia entre a Argentina e o Uruguai.A sentença será recebida pela embaixatriz Susana Ruiz Cerrutti, titular da área legal da Chancelaria argentina, a secretária de Meio Ambiente, Romina Picolotti e o embaixador Raúl Estrada Oyuela, os mesmos que defenderam a Argentina perante o tribunal nas audiências realizadas nos dias 8 e 9 do mês passado. Após o fracasso das negociações entre os dois países, a Argentina apresentou a medida cautelar no dia 4 de maio, por considerar "uma violação ao Tratado do Rio Uruguai", a decisão unilateral do país vizinho de autorizar a instalação das fábricas da finlandesa Botnia e da espanhola Ence às margens do rio que divide a fronteira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.