Harley-Davidson seleciona consumidores para testar sua motocicleta elétrica

Empresa tem 30 protótipos da nova LiveWire que serão usados em passeios e eventos por motociclistas dispostos a colaborar com sugestões

The New York Times

23 de junho de 2014 | 14h19

NOVA YORK - Pilotos que fazem parte do projeto LiveWire, da tradicional fabricante de motocicletas Harley-Davidson, cruzaram a ponte de Manhattan, em Nova York, nesta segunda-feira, 23, dando início ao teste para desenvolver a primeira moto elétrica da marca.

As novas motos ainda não estão à venda, mas a empresa começa a partir de agora a selecionar consumidores americanos dispostos a participar de uma série de eventos e colaborar no desenvolvimento das Harley-Davidsons elétricas.

O projeto que será lançado oficialmente nesta terça-feira, 24, na sede da Herley em Milwaukee, vai oferecer a pilotos licenciados a oportunidade de experimentar uma Harley elétrica. A empresa reservou 30 protótipos de motocicletas elétricas que serão usadas em testes entre  Nova York e Chicago.

Os pilotos vão trafegar pela Rota 66 para Santa Monica,na Califórnia, parando nas concessionárias e outros locais ao longo do caminho. A empresa diz que as motos elétricas representam uma fatia pequena do mercado global, mas  mesmo assim não pretende ficar afastada das pesquisas para o seu desenvolvimento.

A marca de 111 anos prosperou com a venda de uma linha de motos de estilo retro que lembram modelos dos anos 1950. Nos últimos anos, porém, a recessão e o envelhecimento inevitável de seus clientes tornou claro que a sobrevivência no futuro depende da diversificação.

A empresa introduziu recentemente dois modelos menores, mais modernos, projetados para atrair clientes mais jovens.O projeto LiveWire faz parte da estratégia para crescer com novos produtos no mercado mundial.

Tudo o que sabemos sobre:
Harley Davidson

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.