Harley ganha uma rival de peso nos EUA

Harley ganha uma rival de peso nos EUA

Enquanto a tradicional marca perde mercado, a Indian cresceu 17% somente no 2º trimestre

The New York Times

05 Agosto 2017 | 21h00

Ao longo de seus 114 anos de história, a Harley-Davidson teve muitas candidatas a tirá-la de sua posição dominante como fabricante de motos tipicamente americanas. Até agora, a companhia conseguiu segurar seu posto. Talvez, no entanto, esteja prestes a enfrentar seu maior desafio em décadas.

A Polaris, empresa americana conhecida por seu apuro técnico, tem nas mãos a reverenciada marca Indian. E a empresa vem crescendo rapidamente. Para se concentrar na Indian, a Polaris anunciou em janeiro que deixaria de produzir a marca que criou dentro de casa – a Victory – para se concentrar na grife que comprou em 2011.

As vendas da Indian subiram 17% no segundo trimestre de 2017, enquanto as da Harley tiveram uma queda de 7%. O mercado de motos de grande porte, no qual ambas as empresas atuam, teve um resultado ruim: baixa de 9%.

Mesmo com os dados negativos, o domínio da Harley no setor continua forte, com 50% do mercado de motos de grande porte, enquanto a Indian ainda nem chegou aos 10%. 

A Polaris aprendeu a trabalhar com motocicletas ao criar a marca Victory, há 18 anos. O presidente da Polaris, Scott Wine, afirma que foi um duro aprendizado, mas que a empresa agora colhe frutos com a Indian. “A fatia de mercado da Indian já é maior do que era a da Victory.”

Conhecida por veículos off-road e trenós para a neve, a Polaris chegou ao mundo das motocicletas em 1998. A Victory, apesar de ter criado uma pequena legião de devotos, não conseguiu ser lucrativa o suficiente para justificar sua sobrevivência. Apesar de as vendas da marca terem crescido 7% em 2016, o resultado final foi negativo.

O destino da Victory começou a ser selado quando a Polaris comprou a Indian, em 2011. A companhia Indian foi fundada em 1901, mas acabou indo à falência em 1953, apesar de seu histórico de inovação e sucesso em corridas. Ao longo do tempo, várias empresas tentaram ressuscitar a grife, sem sucesso. Pelo menos até a chegada da Polaris.

Todas as motos Indian são construídas em Spirit Lake, Iowa. Apesar de novos modelos voltados aos jovens terem sido lançados, o grosso das vendas vem das opções tradicionais, que foram originalmente criadas antes da Segunda Guerra mundial. “Eles combinam um apelo interessante a um chassi moderno”, diz Karl Brauer, da consultoria Kelley Blue Book.

Robin Farley, analista do banco UBS, afirmou que os problemas da Harley não são apenas relacionados à falta de lealdade dos consumidores. Ele lembra que as vendas estão caindo há três anos, pois os aficionados por motocicletas estão envelhecendo, o que leva à redução da base de consumidores da empresa. / THE NEW YORK TIMES

Mais conteúdo sobre:
Harley-Davidson Motocicleta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.