bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Heineken perde batalha com a Ambev

A cervejaria holandesa Heineken perdeu uma batalha em sua investida para tentar impedir a união entre a brasileira AmBev, dona da Brahma, e a argentina Quinsa, proprietária da cervejaria Quilmes. Um tribunal de Luxemburgo rejeitou a solicitação da Heineken de uma medida para impedir a operação. A holandesa que possui 15% das ações da Quilmes, também havia iniciado no último dia 10 , um processo de arbitragem junto à Câmara de Comércio Internacional, em Paris. Esta ainda não emitiu seu parecer, o que poderá ocorrer dentro de dois meses. Assim como Heineken recorreu à justiça de Luxemburgo porque as ações de Quinsa são cotadas na bolsa daquele país, a Quilmes prepara o contra-ataque utilizando a mesma fórmula, na Bolsa de Nova York, onde também são cotadas. Nos próximos dias, Quinsa e Ambev apresentarão os formulários F20 com os detalhes do acordo ao US Securities and Exchange Commission (SEC), organismo que regula as operações entre empresas que são cotadas em Wall Street. Nesta apresentação, são explicados os detalhes do processo que levaram à união das duas cervejarias que, segundo fontes de Quinsa, são totalmente diferentes do que Heineken alega.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.