finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Hering antecipa em um ano plano de inauguração de lojas

Grupo já chegou a 400 pontos de venda no País e ampliou de 71 para 86 o número de unidades a serem abertas neste ano

O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2011 | 03h06

Por trás do maior ritmo de inaugurações de lojas Hering Store no País está um trabalho de análise regional, com consultores locais, para avaliar quais os novos mercados potenciais para as franquias da rede. O resultado da estratégia começou a dar resultado e fez a companhia chegar à 400ª. loja com quase um ano de antecedência em relação ao programado. Isso levou a empresa a ampliar de 71 para 86 a programação de inaugurações de lojas Hering para esse ano.

Segundo o diretor comercial da Cia Hering, Ronaldo Loos, nesse processo de expansão, pela primeira vez houve equilíbrio na abertura das franquias por regiões, com destaque para Norte e Nordeste. "Apesar do mercado estar um pouco menos animado do que nos anos anteriores, estamos encontrando parceiros Brasil a fora dispostos a investir na franquia da Hering Store. Dessa forma, conseguimos acelerar nosso processo de expansão acima do previsto inicialmente".

Loos destacou que o aperfeiçoamento do trabalho por meio dos consultores regionais começou no ano passado. "Antes, o processo de expansão era muito centralizado, mas a descentralização nos proporcionou dar velocidade à expansão e entender melhor as oportunidades para abertura de franquias no restante do País, compreendendo estes consumidores e os gestores de shoppings", disse. O único Estado que não conta com uma franquia da Hering é Roraima.

O diretor da Hering ressaltou ainda que em algumas regiões há mais candidatos a franqueadores do que lojas disponíveis. Além disso, comentou que a empresa realiza análise detalhada do ponto de venda e do postulante à franquia. "Realizamos um rigoroso processo de viabilidade da operação e, principalmente, se o investidor tem capacidade de suportar os investimentos necessários", disse.

Multimarcas. Segundo ele, parte dos novos franqueados são varejistas que já comercializa marcas da companhia por meio de lojas multimarcas. "Antes, a maior demanda era por antigos franqueados. Hoje, como estamos entrando em novas cidades, há uma tendência de maior distribuição. Buscamos investidores que conheçam a região."

Estudos elaborados pela empresa como base em premissas de penetração da marca e dados socioeconômicos mostram que a Hering tem potencial para chegar a 604 lojas no Brasil. "À medida que PIB, renda e consumo crescem, e também se decidirmos entrar em cidades ou regiões menores, este número certamente poderá ser ampliado", afirmou o presidente da empresa, Fabio Hering. A previsão é de encerrar 2011 com 433 unidades.

Para o sócio diretor da Ba Stockler e professor da FIA/Provar e FGV, Luis Henrique Stockler, a aceleração da expansão da Hering passa por frutos plantados lá atrás.

"A empresa aumentou as responsabilidades dos gerentes regionais, que antes eram mais focados no abastecimento das lojas e, hoje, viraram gestores comerciais de vendas, operações e expansão", disse Stockler./ R.P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.