carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Hidrelétricas do MT poderão ir a leilão só em 2009

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (Epe), Maurício Tolmasquim, disse nesta segunda-feira, 4, que somente no início de 2009 é que deverão ser colocadas em leilão as seis novas usinas hidrelétricas poderão ser construídas no Rio Teles Pires, no Mato Grosso. Se essa previsão se confirmar, essas usinas poderão começar a fornecer energia ao sistema a partir de 2014.A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, em julho passado, um estudo desenvolvido pela holding estatal Eletrobrás que identifica seis potenciais usinas hidrelétricas que podem vir a ser construídas no rio Teles Pires, rio que pertence à Bacia do Tapajós e que corta os estados do Mato Grosso e do Pará. Somadas, essas usinas poderão gerar 3.697 megawatts (MW), quando construídas. Segundo a Aneel, esse foi o maior inventário de um rio aprovado pela agência desde dezembro de 2002, quando foi aprovado o do Complexo do Madeira.O próximo passo, agora, caberá à EPE, órgão do Ministério de Minas e Energia encarregado do planejamento do setor elétrico. Segundo Tolmasquim, a EPE apenas aguarda a autorização da Aneel para abrir uma licitação por meio da qual contratará consultorias privadas que realização o estudo de viabilidade econômica e o Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA-Rima) das seis usinas do rio Teles Pires. Esses estudos deverão ficar prontos no fim do ano que vem.A EPE, então, enviará o EIA-Rima para os órgãos ambientais e dará início ao processo de obtenção da licença ambiental prévia das usinas. Se tudo der certo, a avaliação do presidente da EPE é de que essas licenças serão emitidas em aproximadamente um ano, ou seja, no fim de 2008.De posse das licenças, o governo poderá, enfim, já no início de 2009, realizar o leilão de concessão dos projetos, no qual as empresas vencedoras ganharão o direito de construir e explorar os empreendimentos.Desde sua criação, em 1998, a Aneel já aprovou 385 estudos de potenciais hidrelétricos, que somam um potencial de 50,1 mil MW. De janeiro a julho deste ano foram aprovados 13 estudos, em um total de 5.518 MW de potência, incluindo as usinas do rio Teles Pires. Atualmente, a agência tem 60 projetos em sua carteira sendo analisados para futura aprovação.Técnicos da Aneel comentaram que os estudos de inventário do rio Tele Pires começaram a ser realizados pela Eletrobrás no final da década de 80. Mas acabaram sendo paralisados por falta de recursos.O inventário do Rio Teles Pires compreende usinas dos mais variados potenciais. Desde uma usina de apenas 53 MW, batizada de Magessi, até o aproveitamento de Teles Pires, que poderá ter uma potência de 1.820 MW.

Agencia Estado,

04 de setembro de 2006 | 18h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.