Hidrovia de SP vai receber R$ 203 mi

Canal terá obras de ampliação e aprofundamento para eliminar gargalo que paralisou navegação durante 20 meses

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2017 | 21h04

SOROCABA - A Hidrovia Tietê-Paraná receberá investimento de R$ 203 milhões para eliminar um gargalo que contribuiu para paralisar a navegação de comboios de carga no trecho paulista durante 20 meses, entre 2014 e 2016. As obras de ampliação e aprofundamento do Canal de Navegação da Eclusa de Nova Avanhandava, no Rio Tietê, foram iniciadas nesta quinta-feira, 23, em Buritama, interior paulista, com as presenças do governador Geraldo Alckmin (PSDB) e do ministro dos Transportes, Maurício Quintella.

Num trecho de 10 quilômetros, o canal vai ganhar mais 2,4 metros de profundidade, reduzindo o risco de encalhe das barcaças nos períodos de seca. “Nos de estiagem, as barcaças atingiam as pedras do leito em razão da pouca profundidade, o que obrigava a operação com menos carga. Com a obra, vamos poder operar com carga plena na embarcação com calado de três metros”, disse o diretor do Departamento Hidroviário (DH) do Estado de São Paulo, Jairo de Almeida Machado.

A maior parte dos recursos – R$ 181,5 milhões – virá dos cofres federais, pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), cabendo o aporte dos outros R$ 21,5 milhões ao governo do Estado de São Paulo. A obra deve ser concluída em julho de 2019.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.