Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Hillary defende mais parcerias com o Brasil

Com um discurso que passou por vários assuntos, mas de forma superficial, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, destacou que o aprofundamento da relação entre Brasil e Estados Unidos implica em maior crescimento da parceria dos dois países e também na eliminação de problemas. "A bitributação foi citada e é preciso considerar também um acordo de livre comércio", disse.

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

16 de abril de 2012 | 14h24

Hillary participou do evento "Visão para a Parceria Econômica no Século 21", promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília, com a parceria da Câmara Americana de Comércio (AmCham). Antes, o presidente da entidade, Robson Andrade, destacou que o fim da bitributação é uma das prioridades de negociação entre os países.

Na avaliação da secretária, Brasil e Estados Unidos são exemplos para o mundo, pois construíram seus países com base na democracia. Ela destacou também a expansão brasileira dos últimos anos. "Sua dimensão econômica se torna cada vez mais importante, não apenas para os dois países, mas para esta região e o mundo", considerou. Além disso, segundo Hillary, a importância do Brasil se dá por causa do acesso dado a milhões de brasileiros à classe média e, principalmente, por tirar cidadãos da miséria. "O Brasil sobe à cena mundial como um motor econômico importante", resumiu.

Para a secretária, não há garantia para os dois países de que o progresso continuará para sempre. Por isso, defendeu, o combustível da prosperidade é a inovação. Hillary citou uma série de parcerias de empresas no Brasil, como Microsoft e IBM.

Tudo o que sabemos sobre:
BrasilEUAHillary

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.