Hillary elogia 'sucesso' do Brasil

‘Admiração do Brasil no mundo hoje não é porque ele está enriquecendo, mas porque a classe média está aumentando e se tira brasileiros da pobreza, independente de suas origens’, comentou secretária

Célia Froufe, Agencia Estado

16 de abril de 2012 | 15h02

O Brasil é um claro exemplo de "banco de três pernas", na avaliação da secretária de Estado americana, Hillary Clinton, que está em visita ao Brasil. "A história do sucesso do Brasil é um modelo de banquinho de três pernas", disse, explicando que o banquinho é formado por um governo responsável, um setor privado sólido para criar emprego e riqueza e uma sociedade civil forte.

Hillary explicou que se há corrupção no governo, se a sociedade não é participativa ou se o setor privado é pouco atuante, há um desequilíbrio das pernas do móvel e, então "o banquinho cai". "Admiração do Brasil no mundo hoje não é porque ele está enriquecendo, mas porque a classe média está aumentando e se tira brasileiros da pobreza, independente de suas origens", comentou.

A secretária, assim como outros americanos que se pronunciaram antes, destacou o aumento de viagens entre os dois países. "Vejo muitos turistas brasileiros quando estão em Nova York. Os brasileiros gastaram muitos milhões de dólares nos Estados Unidos no ano passado", disse. Ela enfatizou que o país deseja aumentar o turismo entre os países e que pretende aumentar a eficiência do processamento de visto de turismo. "Brasil e China são as demandas mais importantes, por isso estamos aumentando o número de voos." 

Com um discurso que passou por vários assuntos, mas de forma superficial, Hillary Clinton destacou que o aprofundamento da relação entre Brasil e Estados Unidos implica maior crescimento da parceria dos dois países e também na eliminação de problemas. "A bitributação foi citada e é preciso considerar também um acordo de livre comércio", disse.

Hillary participou do evento "Visão para a Parceria Econômica no Século 21", promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília, com a parceria da Câmara Americana de Comércio (AmCham). Antes, o presidente da entidade, Robson Andrade, destacou que o fim da bitributação é uma das prioridades de negociação entre os países.

Na avaliação da secretária, Brasil e Estados Unidos são exemplos para o mundo, pois construíram seus países com base na democracia. Ela destacou também a expansão brasileira dos últimos anos. "Sua dimensão econômica se torna cada vez mais importante, não apenas para os dois países, mas para esta região e o mundo", considerou. "O Brasil sobe à cena mundial como um motor econômico importante", resumiu.

Para a secretária, não há garantia para os dois países de que o progresso continuará para sempre. Por isso, defendeu, o combustível da prosperidade é a inovação. Hillary citou uma série de parcerias de empresas no Brasil, como Microsoft e IBM.

Tudo o que sabemos sobre:
BarsilEUAHillarysucesso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.