Hipermercados antecipam liquidações

Com o Natal fraco, descontos para limpar estoques podem chegar a 60% Grandes redes de supermercados anteciparam as liquidações de fim de ano, sinal de que o Natal não deve ter atingido as expectativas de vendas dos varejistas e a disputa pelo consumidor continuará acirrada no próximo ano.A rede de hipermercados Extra, do Grupo Pão de Açúcar, fará na segunda-feira, dia 2 de janeiro, um saldo de balanço, com descontos de até 60%. Uma das novidades deste ano é que todas as seções da loja estarão em liquidação, inclusive os alimentos. No caso dos panetones, cuja venda este ano começou mais cedo, terão abatimento de 50% sobre o preço de etiqueta.Outra facilidade é o parcelamento dos itens em promoção. No caso dos eletrodomésticos, nos têxteis e nos artigos de bazar, é possível dividir o pagamento em 12 vezes sem acréscimo no cartão de crédito. Nos alimentos, o parcelamento possível é de três vezes no cartão Extra. Na virada de 2004 para 2005 a rede não fez liquidação.O Carrefour, vice-líder do setor, segundo o ranking da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), ampliou este ano o período de liquidação de saldos de balanço. Entre os dias 28 e 30 deste mês, as 100 lojas da rede espalhadas pelo País liquidaram os estoques de eletroeletrônicos e artigos de bazar com descontos entre 40% e 60% sobre o preço de etiqueta. Assim como o concorrente Extra, a rede liquidou itens alimentícios.Normalmente, o Carrefour promovia os descontos no início do ano e desta vez optou por fazer um saldão logo após o Natal. Também é praxe da companhia liquidar os estoques por um período mais curto. Neste ano, no entanto, foram três dias seguidos de saldão.Até o Wal-Mart, que tradicionalmente não faz saldões, decidiu na próxima semana liquidar as sobras de panetone. A partir de segunda-feira, a rede rebaixou entre 20% e 40% todas as marcas de panetone.As Casas Bahia, que logo após o Natal entrou com uma campanha de descontos de até 50% na rede toda e de até 70% só na Super Casas Bahia, que terminou ontem no Parque de Exposições do Anhembi, em São Paulo, ainda não divulgou o balanço de vendas do Natal. A expectativa era faturar R$ 70 milhões em 40 dias com a superloja do Anhembi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.