Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

‘Hoje atendo quatro clientes, mas já cheguei a ter o dobro’

Personal trainer acumula trabalhos para complementar renda

Rodolfo Mondoni e Teresa Patrícia Oliveira, especiais para O Estado, O Estado de S. Paulo

29 Maio 2015 | 09h00

O personal trainer Carlos Eduardo, de 51 anos, reconhece que o número de alunos caiu por causa da crise econômica. Atualmente, atende quatro clientes fixos, mas já chegou a ter o dobro.

Além de atender na academia, Carlos dá aula particular na casa de alunos e leciona a disciplina de Educação Física em uma escola da capital paulista. Atualmente, consegue garantir uma renda mensal de R$ 3 mil. "Tendo em vista a situação econômica, não podemos abrir mão de outras atividades", destaca.

Ele diz que a demanda pelo seu trabalho se mantém, já que está associada à área da saúde. Mas nem sempre é possível fechar o negócio, devido à dificuldade econômica que os brasileiros estão passando. Com o orçamento apertado, as pessoas têm procurado alternativas para fazer atividades físicas sem mexer no bolso.

Além disso, parte dos condomínios da cidade já têm salas de ginástica bem equipadas. E os parques públicos incentivam as caminhadas, sem a necessidade de acompanhamento por parte de um profissional.

Mais conteúdo sobre:
crise personal trainer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.