Holding pode começar a participar de leilões, afirma Eletrobrás

Empresa estuda entrar nos novos leilões de geração e transmissão de energia em parceria com suas subsidiárias

Nicola Pamplona, da Agência Estado,

26 de agosto de 2009 | 09h39

O diretor financeiro da Eletrobrás, Astrogildo Quental afirmou nesta última terça-feira, 25, que a empresa estuda entrar nos novos leilões de geração e transmissão de energia em parceria com suas subsidiárias. A medida faz parte de um esforço para ampliar os ganhos da holding em suas relações com as subsidiárias. Segundo ele, a entrada direta da Eletrobrás permitiria à holding assumir diretamente os lucros de cada projeto, o que hoje é feito por meio de equivalência patrimonial. A ideia, portanto, é usar a experiência operacional das subsidiárias como parceiras, mas abocanhar parte do lucro com uma participação acionária em cada projeto.

 

A Eletrobrás não está proibida de disputar de leilões, mas até agora vem privilegiando a participação de suas subsidiárias, como Furnas, Chesf, Eletronorte e Eletrosul, por exemplo. Em outra linha de ação, a companhia busca maior sinergia entre as empresas, no sentido de absorver ganhos fiscais e tributários nos negócios entre as empresas. Nesse sentido, a empresa planeja uma administração financeira mais centralizada, que olhe em conjunto para todas as empresas, evitando perdas desnecessárias com créditos fiscais ou pagamento de impostos, por exemplo.

Tudo o que sabemos sobre:
Eletrobrásholdingleilões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.