Home broker: cotações convergem

As cotações das ações nos mercados fracionário e de lote padrão da Bovespa caminham para uma convergência. Segundo diretores de corretoras, essa aproximação se dará com o aumento nos negócios da seção de frações. Eles acreditam que a participação do mercado fracionário no total negociado pela Bolsa deve continuar crescendo, impulsionada pelo Home Broker.As ações da AmBev, por exemplo, fecharam cotadas a R$ 430,00 por lote de mil na última sexta-feira no mercado padrão. No fracionário, os papéis estavam valendo menos, R$ 426,00. No caso da Sabesp, o comportamento era oposto. As ações encerraram o pregão da sexta-feira em R$ 166,99 por lote de mil, abaixo dos R$ 167,56 negociados no fracionário. O responsável pelo Home Broker e diretor da Ágora, Paulo Levy, apontou uma nova tendência dentro da perspectiva de continuidade da correspondência entre os crescimentos das operações fracionária e pela Internet. "Quem já aplicava no fracionário ganhará confiança e poderá partir para volumes maiores, passando ao lote padrão", observou. Na avaliação de Levy, esse espaço vago será ocupado por novos investidores, que desenvolverão suas poupanças por meio da seção de frações.Para os diretores, a participação do Home Broker no total da Bovespa ainda é pequena. Mas as perspectivas de crescimento são otimistas. "A nossa previsão é que o volume de transações pela Internet chegue a 10% da Bolsa em cinco anos", disse o gerente da área técnica da Socopa, Paulo Prado. Para Randolph Haynes, da Coinvalores, o sistema ainda está em processo de maturação e deve se consolidar nos próximos quatro anos. Para os especialistas, a evolução do Home Broker no Brasil depende de questões como as reformas econômicas e a aprovação da Lei das S.As.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.