Honda faz novo recall de airbag de Civic e CR-V

Campanha envolve mais 20,9 mil carros no País com defeito em bolsa feita pela Takata

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2014 | 02h05

A Honda do Brasil anunciou ontem recall para 20.908 modelos Civic e CR-V fabricados há mais de dez anos (entre 2001 e 2003) para a substituição gratuita do insuflador do airbag dianteiro do passageiro. Em casos de acidentes, há riscos de projeção de fragmentos da bolsa inflável e até incêndio.

A medida faz parte da convocação mundial feita pelas fabricantes japonesas Honda, Nissan e Mazda no início da semana envolvendo cerca de 3 milhões de veículos. A Nissan do Brasil informou que seus modelos não estão envolvidos. Atualmente, carros da Mazda não são importados oficialmente.

O defeito foi detectado na cápsula que infla o airbag, componente produzido pela japonesa Takata. Nos últimos cinco anos, cerca de 10 milhões de veículos de diversas marcas já foram convocados para reparos em razão de problemas com as bolsas da Takata.

Em abril do ano passado, a Honda do Brasil já havia convocado 23.339 modelos Civic e CR-V pelo mesmo problema. Os proprietários que já providenciaram o conserto não precisam voltar às lojas.

"Fomos notificados pela matriz sobre a constatação da Takata da necessidade de extensão do lote de peças afetadas", explicou Marcelo Langrafe, gerente de pós-venda da Honda. Segundo ele, "não há relatos de acidentes envolvendo essa peça no Brasil".

A Honda pede que os consumidores agendem o conserto a partir de 2 de julho, quando terá toda a rede de revendas abastecida com o componente, que é importado do Japão.

Toyota. Na semana passada, a Toyota do Brasil anunciou recall para 28.148 sedãs Corolla XEi e SEG fabricados entre maio de 2002 e agosto de 2003 por defeito no sistema do airbag, também ampliando convocação feita em abril de 2013.

No caso da Toyota, contudo, o conserto só será realizado a partir de 3 de novembro, pois a empresa não dispõe da peça a ser substituída. Por enquanto, o airbag será desativado e a empresa sugere aos proprietários que não levem passageiros no banco de carona até a troca.

Outro recall confirmado ontem pela Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacon/MJ) é o da Lifan do Brasil. A marca que importa veículos da China convocou 607 unidades do X60 ano/modelo 2013/2013 para inspeção e eventual substituição do flexível de freio traseiro.

A Lifan detectou que pode ocorrer vazamento e perda de fluído de freio, necessitando maior esforço para frenagem. Há riscos de perda da capacidade de frenagem e acidentes.

Chave de ignição. A General Motors informou que a chave de ignição com defeito ligada ao recall de quase 3,4 milhões de veículos anunciado na semana passada nos Estados Unidos foi fabricada na China, pela empresa Dalian Alpes Electronics.

Estão envolvidos nessa convocação modelos Chevrolet Impala e Monte Carlo, Buick LaCrosse e Lucerne e Cadillac DeVille e DTS.

Em fevereiro, a GM convocou outros 2,6 milhões de veículos com problemas similares, mas não divulgou o nome do fabricante da peça. Nesse caso, há relatos de pelo menos 13 mortes em decorrência do defeito.

Direção hidráulica. Ontem, a Ford Motor pediu a donos da picape F-150 modelo 2014, nos EUA, que não utilizem os veículos até que um problema na direção hidráulica seja resolvido. As picapes foram fabricadas entre 26 de maio e 19 de junho.

A Ford informou que entregou cerca de 260 de um total de 5.675 F-150 com o defeito a clientes. A maior parte do lote ainda está nas concessionárias.

Segundo nota da fabricante, a direção hidráulica pode ter um ímã que serve de sensor de posição do motor instalado incorretamente por um fornecedor. A Ford não revelou o nome da empresa./ COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.