AP
AP

coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Hong Kong inicia troca de taxis por carros elétricos

Fabricante chinesa BYD entrega primeiro lote dos automóveis 6D que não emitem poluentes

15 de maio de 2013 | 10h30

HONG KONG - Com apoio do megainvestidor Warren Buffett, a montadora chinesa BYD lançou a primeira frota de táxi elétrico nesta quarta-feira, 15. Trata-se de um marco na evolução dos carros não poluentes pela sua bateria totalmente elétrica.

"Esperamos aumentar o número de táxis elétricos para 5 mil em três anos", disse Liu Xueliang, gerente geral da BYD, ao apresentar as primeiras unidades da frota. A empresa anunciou que pretende ajudar a ex-colônia britânica a converter toda a sua frota de táxis para veículos elétricos.

Os modelos e6 prometem baixar a zero a poluição, mas ainda são considerados caros. O modelo é vendido por US$ 60,2 mil na China continental e por US$ 57,7 mil em Hong Kong.

A BYD vendeu cerca de 1,7 mil unidades do e6 no ano passado, segundo dados da indústria. O fracasso da tentativa de popularizar o e6 não é apenas uma má notícia para BYD, mas ilustra como a promessa da China de colocar 5 milhões de carros elétricos nas estradas até 2020 não está indo como o planejado.

Para compensar as vendas fracas do e6, os executivos da BYD disseram que pretendem promover um modelo híbrido (elétrico e a gasolina).

Sociedade com Warren Buffett

O dono da BYD, Wang Chuanfu, é considerado hoje um dos homens mais ricos do mundo, com uma fortuna estimada em US$ 5,1 bilhões.  Ele fundou a montadora há apenas 14 anos, mas ao se antecipar no lançamento mundial do primeiro carro elétrico, no ano passado, atraiu o investidor Warren Buffett, que

adquiriu 10% das ações da empresa.

Desde então, a BYD vem ganhando destaque no mundo automotivo.  Em recentes declarações, Chuanfu disse que o grupo será o maior fabricante de veículos da China até 2015 e o maior do mundo até 2025.

 

Tudo o que sabemos sobre:
BYDcarro elétricowarren Buffettchina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.