Hong Kong pode ajudar Brasil a entrar no mercado chinês

O diretor executivo do Hong Kong Trade Development Council (HKTDC), Fred Lam, afirmou nesta terça-feira, 20, que o país asiático pode ser um importante aliado para entrada dos biocombustíveis brasileiros no mercado chinês. "O Brasil tem a vanguarda mundial do desenvolvimento de energia utilizando o etanol e a China tem milhões de automóveis que terão que migrar do petróleo para os biocombustíveis no futuro. Hong Kong pode ser a plataforma para o Brasil vender a tecnologia", disse.Lam lidera uma delegação de executivos de oito empresas do setor industrial de Hong Kong que está em São Paulo apresentando as oportunidades de negócios do país asiático, durante o seminário Hong Kong - Brasil: parceiros estratégicos para uma nova era de oportunidades e negócios.Ele salienta que as exportações brasileiras podem utilizar o País para entrar no mercado asiático. "Nós queremos que as empresas brasileiras usem Hong Kong como porta de entrada dos produtos na Ásia."Segundo Lam, entre as vantagens para o empresário brasileiro está o fato de Hong Kong manter acordos comerciais com a China, onde todos os produtos exportados não pagam impostos. "Hong Kong é a ponte comercial entre as empresas do mundo interessadas em fazernegócios na China", afirmou Lam.A delegação estrangeira tem representantes de vários setores da indústria, incluindo eletrônica, alimentos, eletrodomésticos, brinquedos, relógios, têxtil, e vestuário. Lam destacou que já está negociando produtos brasileiros que a Ásia não recebe de forma direta, mas por traders internacionais.A missão que está no Brasil já esteve no Chile e na Argentina. A expectativa dos empresários asiáticos é de que o comércio entre os países asiáticos e da América Latina possa se ampliar, atingindo números nunca atingidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.