Hong Kong reflete a forte alta chinesa

A mais recente medida de estímulo ao mercado de equities anunciada hoje pelo governo chinês, que reduziu de 0,3% para 0,1% a taxa de transação acionária ?stamp duty?, ajudou a Bolsa de Hong Kong a fechar em elevação pelo quarto pregão seguido. Com pesado volume de negociações, o maior desde 24 de janeiro, o Hang Seng ganhou 391,54 pontos, ou 1,6%, e foi a 25.680,78 pontos. Contudo, os ganhos caíram no final da sessão. Os investidores realizaram lucros, por conta das preocupações com a contínua volatilidade nos mercados da China. As ações de seguradoras chinesas lideraram os ganhos do dia nas blue chip. Ping An Insurance saltou 10,5%. China Life subiu 8%. PICC disparou 11,9%. Já as companhias elétricas privadas se beneficiaram da notícia de que a China poderá aumentar a tarifa de eletricidade no segundo semestre. China Resources Power ganhou 9,9%, mesmo porcentual de alta da Huadian Power. Por sua vez, Huaneng Power avançou 8,4%.O mercado taiwanês registrou novas quedas, com a decisão dos investidores de diminuir as posições em grandes empresas de tecnologia que divulgaram seus resultados do primeiro trimestre nesta semana. O índice Taiwan Weighed recuou 0,2%, para 8.990,33 pontos. TSMC caiu 1,2%. Hon Hai Precision recuou 3,3% e AU Opto teve perda de 1,2%. Já Acer registrou aumento de 1,9%, em razão de resultados melhores do que o esperado nos primeiros três meses do ano e das boas perspectivas para o segundo trimestre. Esses dados fizeram com que várias corretoras elevassem o preço-alvo da Acer. Papéis de empresas do setor de alimentos também subiram, estimulados pelos ganhos nos mercados chineses. Uni-President Enterprises avançou 2,5%.Em sessão extremamente volátil e com pesado volume de negociações, a Bolsa da Coréia fechou próxima da estabilidade, mas no campo negativo, abaixo da importante barreira psicológica dos 1.800 pontos superada na véspera. O índice Kospi caiu 0,1%, para 1.799,34 pontos. As perdas no setor de construção naval ofuscaram os ganhos no segmento de corretoras. Hyundai Heavy Industries perdeu 0,7% e Daewoo Shipbuilding & Marine Engineering caiu 2,6%, por conta das previsões pessimistas da UBS para a indústria global de estaleiros. Já a Hyundai Motor teve declínio de 4,1%, após anunciar um lucro líquido no primeiro trimestre muito abaixo das estimativas do mercado. Os papéis de corretoras tiveram bom desempenho, após o governo anunciar a desregulamentação do sistema financeiro de acionistas. SK Securities saltou 6,6%, enquanto Eugene Investment & Securities disparou 13,7%.Após quatro quedas consecutivas, a Bolsa das Filipinas registrou elevação, com recuperação técnica estimulada pelo bom desempenho dos mercados americanos. O índice PSE Composto subiu 0,7%, para 2.844,02 pontos. PLDT encerrou o dia com alta de 0,6%. SM Investments subiu 0,9%.A Bolsa australiana recuou, liderada por papéis de recursos naturais e bancos, pois os investidores realizaram lucros em razão do feriado de amanhã e dos resultados de empresas americanas que serão publicados ainda hoje. O índice S&P/ASX 200 recuou 1,2%, para 5.587,3 pontos. ANZ, o quarto maior banco do país no setor de crédito, registrou queda de 2,4%. National Australia Bank também caiu 2,4%. Commonwealth Bank recuou 1,6% e Westpac Banking Corp sofreu desvalorização de 0,5%. BHP caiu 0,4%, o mesmo porcentual de baixa de Rio Tinto. (Priscila Arone e Ricardo Criez)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.