Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

coluna

Louise Barsi: O Jeito Waze de investir - está na hora de recalcular a sua rota

Hopi Hari tem registro suspenso pela CVM

Segundo entidade responsável pela fiscalização do setor, companhia ficou mais de um ano sem prestar informações ao mercado

Renato Jakitas, O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2017 | 17h53

A Comissão de Valores Imobiliários (CVM)comunicou nesta quarta-feira, 24, a suspensão do registro de companhia aberta do parque de diversões Hopi Hari.

De acordo com o comunicado, a medida foi tomada porque a empresa ficou há mais de um ano sem prestar informações para o órgão responsável pela fiscalização e regulação do mercado de valores mobiliários no Brasil.

Como consequência da suspensão, o Hopi Hari fica, agora, proibido de negociar ações, títulos de dívidas (chamados de debêntures) e qualquer outro papel nos mercados regulamentados (balcão organizado, bolsa ou balcão não organizado).

Segundo a CVM, no entanto, a suspensão não exime a companhia ou seus controladores e administradores, de irregulares e infrações cometidas antes do cancelamento do registro.

Ainda de acordo com a CVM, o parque negociava ações da empresa na B3, nono nome da BM&FBovespa) até o dia 28 de abrir. A negociação, no entanto, foi suspensa pela CVM no dia 2 de maio.

Portas fechadas.  No dia 12 de maio, o parque anunciou que fecharia as portas para o público por tempo indeterminado. Em nota divulgada nas redes sociais, o dono do parque, José Luiz Abdalla, destaca que o paralisação é temporária, “uma pausa para respirar, tomar fôlego e voltar à luta com mais força”. Ele, contudo, não menciona prazo para reabertura.

Com dívidas de R$ 700 milhões, sem seguro, devendo salários para seus mais de 300 funcionários e desde abril com a luz cortada pela distribuidora CPFL, o parque tentava junto a investidores um empréstimo de R$ 100 mil para renovar o aluguel dos geradores, que vence amanhã, e mantinha uma parte das atrações em funcionar.

No dia 9 de maio, Estado publicou reportagem relatando as dificuldades financeiras e a fuga de visitantes do parque. O Hopi Hari chegou a receber 24 mil pessoas em um único dia, no segundo semestre de 2011, e no fim de semana passado recebeu 450 visitantes no total, o que rendeu uma receita total de R$ 30 mil.

Tudo o que sabemos sobre:
Hopi Hari

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.