Hora e vez dos médios e pequenos

Na esteira da recuperação da economia e da formalização do emprego, os planos de saúde corporativos vêm crescendo no Brasil. Atualmente, os chamados planos coletivos, com 31,5 milhões de segurados, representam 73% do mercado total, que arrecadou R$ 64, 2 bilhões no ano passado. "O plano de saúde faz parte praticamente obrigatória do cardápio de benefícios das empresas interessadas em reter talentos e é um item cada vez mais frequente nos acordos sindicais", afirma Marcio Coriolano, presidente da Bradesco Saúde. Com 2,6 milhões de segurados registrados no final do primeiro semestre, a Bradesco Saúde é a líder do mercado nacional, onde compete com nomes como a SulAmérica, Amil, Medial e Golden Cross. No período, a Bradesco Saúde incorporou cerca de 150 mil novos segurados, elevando suas receitas a R$ 3,2 bilhões. Até o fim do ano, a previsão é chegar a uma arrecadação de R$ 5,4 bilhões.

Clayton Netz, clayton.netz@grupoestado.com.br, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2010 | 00h00

O grande responsável pelo resultado foi o crescimento do seguro para pequenos grupos, identificado pela sigla SPG, destinado a clientes corporativos que seguram entre 5 e 99 funcionários. Entre janeiro e junho, o SPG, que já representa 15,6% das 42 mil empresas clientes da Bradesco Saúde, cresceu 33%, quase o dobro do aumento obtido pelos planos empresariais tradicionais. "Isso mostra o vigor das pequenas e médias empresas no País e a maior formalização do emprego", diz Coriolano. Segundo ele, à medida que as pessoas se empregam com carteira assinada, elas tendem a cancelar seus planos individuais. Atualmente, os planos individuais representam menos de 9% da carteira total da Bradesco Saúde.

Um dos produtos que mais ajudaram a empinar as vendas do SPG foi o Plano Perfil, uma inovação da seguradora. Lançado há dois anos, no Rio de Janeiro e São Paulo, a preços mais em conta do que os produtos tradicionais, o Perfil já pode ser contratado em praças como Belo Horizonte, Blumenau, Salvador, Recife e Campinas. Ao contrário dos outros planos da Bradesco Saúde, a abrangência geográfica da cobertura do Perfil é regional. "A rede do Perfil não é nacional, é uma rede de municípios", afirma Coriolano. Também há uma menor oferta de hospitais de primeira linha, que costumam encarecer os planos de saúde. "É um plano que cabe no bolso da empresa", diz. Além de definir se vai oferecer apartamentos ou enfermaria nos casos de hospitalização, o cliente determina o valor do reembolso das despesas médicas, bem como se vai exigir a coparticipação do funcionário no patrocínio do plano. "Tudo isso ajuda a moldar e ajustar a assistência de saúde às necessidades e disponibilidades do cliente", afirma.

Coriolano, que também é presidente da FenaSaúde, acredita que as perspectivas de crescimento do setor inevitavelmente atrairão as atenções dos competidores internacionais. Por enquanto, a despeito de alguns movimentos, como a aquisição da Medial Saúde pela Amil, em 2009,ele acredita que a consolidação do mercado de seguro saúde, pulverizado entre 1200 operadoras no País, se dará lentamente. "Num primeiro momento, o foco será a concentração dos prestadores de serviços, como os hospitais", diz. "As seguradoras estrangeiras virão mais adiante, mas em associação com grupos nacionais, como ocorreu no ramo de seguros gerais", afirma.

GENÉRICO DO LIPITOR

Pfizer sofre derrota na Justiça Federal

A Pfizer sofreu um revés em sua intenção de revogar na Justiça a permissão dada ao laboratório nacional EMS para a produção do genérico Lipitor, campeão de vendas da empresa americana no mundo. O pleito foi indeferido pela desembargadora federal Vera Lúcia Lima, vice-presidente do Tribunal Federal de Recursos da 2.ª Região, no Rio de Janeiro, na última segunda feira.

PORCELANAS

Braços cruzados, máquinas paradas na Schmidt

Em recuperação judicial desde 2008, a tradicional Porcelana Schmidt, maior fabricante nacional de porcelanas, teve a produção de suas fábricas de Pomerode (SC), Campo Largo (PR) e Mauá (SP) interrompida e concedeu licença remunerada a seus 1.300 funcionários, que haviam entrado em greve na última segunda-feira por atrasos no pagamento de salários - nesse dia, 500 trabalhadores da fábrica paranaense chegaram a interditar uma rodovia estadual como forma de protesto. Os empregados também reclamam que a empresa não vem repassando o Fundo de Garantia descontado na folha de pagamento. Procurada pela coluna, a direção da empresa não respondeu sobre as pendências trabalhistas, limitando-se a informar que está passando por um período de "readequação e racionalização de suas unidades produtivas".

CARTÕES DE CRÉDITO

Mastercard fatura US$ 51 bi na AL

A Mastercard faturou US$ 51 bilhões na América Latina no segundo trimestre de 2010, alta de 15,7% sobre igual período de 2009. Embora a bandeira não abra os números sobre o Brasil, seu diretor no País, Gilberto Caldart, diz que o mercado local registrou um dos maiores crescimentos da região. Segundo a Abecs, a entidade das empresas do setor, o faturamento dos cartões de crédito e débito cresceu 20%, em média, ao longo do ano, e 11% em unidades emitidas, contra 6,2% da Mastercard na América Latina.

AVALIAÇÃO DE RISCO

Jundiaí ganha nota A+ da Austin Rating

A cidade paulista de Jundiaí recebeu nota A+ com perspectiva positiva na avaliação de classificação de risco elaborada pela Austin Rating, figurando como a cidade brasileira mais bem posicionada entre os sete municípios auditados. O município está na frente de São Caetano do Sul, Guarulhos, Porto Alegre, Rio, São Paulo e Belo Horizonte. Essa ferramenta é a mesma utilizada para avaliar a qualidade de investimentos em empresas e países. "A nota significa que o município tem política fiscal saudável e bons indicadores econômicos e sociais, facilitando o acesso a financiamentos internacionais", diz Alex Agostini, da Austin.

PIRATARIA

Alcoa mira em produtos falsificados

A subsidiária brasileira da Alcoa está fechando o cerco contra a falsificação dos produtos de uma de suas linhas de materiais extrudados, usados para a fabricação de esquadrias de alumínios e destinados à construção civil. Curiosamente, modelos da linha Suprema, que deixou de ser produzida há três anos, continuam chegando ao mercado com sua marca. Desde 2004, a Alcoa gastou R$ 4,5 milhões no registro de marcas e patentes de extrudados e na briga judicial contra os falsificadores.

FILME EMBAÇADO

US$ 900 mi

é o total das dívidas que a Blockbuster, a maior rede de locadoras de vídeos do mundo, negocia com seus credores. A rede mantém 4.661 lojas, das quais 1.147 no exterior

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.