finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Horário de verão deve ser mantido, diz presidente do ONS

O presidente do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Mário Santos, disse que a sobra de energia que o Brasil tem hoje não deve motivar a suspensão do horário de verão este ano. Ele disse que o consumo de energia no País, hoje, é de 52 mil megawatts médios. Este número é menor do que os 56 mil MW médios que o Brasil consumia em abril de 2001, pouco antes do racionamento de energia. Para o presidente do ONS, se o horário de verão for suspenso este ano, o consumo pode voltar para a faixa dos 56 mil MW médios, o que eliminaria a folga. O horário de verão tem sido adotado no País em todos os anos desde 1985, mas a região Nordeste sempre apresenta resistências. Ontem, a ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, admitiu flexibilizar a adoção do horário de verão.Energia garantida até 2007Mário Santos também disse que o Brasil não terá problemas de abastecimento de energia até o ano de 2007 devido à previsão de novos investimentos. De acordo com o Plano de Ampliação de Reforços apresentado pelo ONS para o triênio 2004-2006, está previsto um acréscimo de 11 mil quilômetros de linhas de transmissão de energia, de 12 mil MW de nova capacidade de geração térmica e hidrelétrica e de novos transformadores de energia com 21 mil MVA de capacidade. Segundo Santos, existem ainda obras que não foram autorizadas, que poderiam gerar outros 12 mil MW de energia. Esses empreendimentos de geração ainda não têm autorização para começar, pois enfrentam problemas de licenciamento ambiental, entre outros, e não foram consideradas no Plano de Ampliação de Reforços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.