Hotéis aparecem como bom investimento

O mercado imobiliário tem se apresentado como um porto seguro para investidores que querem fugir das oscilações na economia do País. No setor, as vendas de unidades hoteleiras têm chamado atenção. Os hotéis condomínio ou condotéis têm sido alvo de investimentos, principalmente, de pessoas que vêem no produto uma alternativa à caderneta de poupança.O investimento pode variar de R$ 60 mil a R$ 250 mil, com rentabilidade prevista de 0,5% a 1,5% por mês a partir do início do funcionamento do hotel. Mas no município de São Paulo o excesso de ofertas pode representar risco para quem espera bom retorno financeiro. Como opção, há unidades hoteleiras que estão sendo lançadas em outras capitais e cidades do interior com grande fluxo de turistas de lazer e de negócios, como Salvador, Uberlândia e Florianópolis.O consultor da BSH Internacional, José Ernesto Marino Neto, acompanha esse mercado desde meados da década de 80, quando surgiram os primeiros apart hotéis, também vendidos em unidades. "Os apartamentos, que podiam ser locados até por meses, estavam sendo usados como quartos de hotel por falta de opção", diz.O produto foi evoluindo até surgirem os flats, por volta de 1990, e nos últimos anos, o condotel, que, ao contrário das outras duas modalidades, só pode ser utilizado como hotel e não como moradia.Para consultor, tendência é o conceito se espalharDe acordo com o consultor da BSH, empresa que introduziu no País cadeias internacionais como Sol Meliá, a tendência é a de que os hotéis condomínios, depois dos lançamentos no município de São Paulo, se espalhem pelo interior e cheguem aos resorts.Um dos maiores lançamentos na área foi feito em maio, do Holiday Inn Anhembi. As 780 unidades do hotel foram vendidas em apenas um dia. As obras começaram em setembro e devem ser concluídas em meados de 2003.Segundo Levi Zylberman, sócio da Construtora São José, incorporadora do empreendimento, o valor médio das unidades foi de R$ 110 mil, sem incluir os gastos com decoração dos quartos e da área comum, treinamento da equipe e capital inicial do hotel, de cerca de R$ 20 mil.Ele acredita que o mercado de São Paulo está saturado para este tipo de projeto, mas ainda assim tem um lançamento previsto para até março do ano que vem. "A cidade não é mais uma das melhores alternativas de investimento nessa área, mas tudo depende da adequação do produto à necessidade do local", diz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.