Hotel das Cataratas agora em mãos inglesas

Grupo Orient-Express terá a concessão por 20 anos

Lu Aiko Otta, O Estadao de S.Paulo

26 de setembro de 2007 | 00h00

O Hotel das Cataratas, cravado em meio a um parque nacional e com vista para as quedas do Iguaçu, foi entregue ontem à empresa São Matheus, do grupo inglês Orient-Express, que o arrendou por um prazo de 20 anos. ''''É um hotel que identificamos como único, um dos mais excepcionais deste planeta'''', disse Philip Carruthers, representante do grupo no Brasil. A idéia, segundo ele, é transformar o hotel em uma ''''referência internacional''''.A ministra do Turismo, Marta Suplicy, informou que a União, proprietária do imóvel, recebia R$ 120 mil por mês da antiga arrendatária, o grupo hoteleiro Tropical. Agora, passará a receber R$ 868 mil por mês. Metade desses recursos irá para o Tesouro Nacional e a outra metade ficará vinculada à recuperação e manutenção de parques ecológicos.Além de reformar o hotel, num projeto que demorará dois anos, a São Matheus se comprometeu a investir perto de R$ 5 milhões no parque. Desses, R$ 1,2 milhão será gasto em um projeto de pesquisa sobre o comportamento dos felinos existentes na área.Marta informou que, nos próximos dias, o governo oferecerá outros dez monumentos nacionais para serem explorados, como hotéis, pela iniciativa privada. São conventos, fortes e outras construções históricas que a União não tem condições de preservar. Esse modelo foi inspirado nos ''''paradores'''' espanhóis, que são hotéis sofisticados funcionando em construções históricas.A ministra ressaltou o papel do turismo e da hotelaria como geradores de empregos e de oportunidades de ascensão social. Ela comentou que uma pessoa que consegue emprego como ajudante de cozinha tem a possibilidade de se tornar dona de um restaurante. Segundo ele, essa é uma carreira melhor do que a da construção civil, onde o trabalhador ''''entra como ajudante de pedreiro e vai ser pedreiro''''.O governo estuda ainda uma forma de revitalizar os parques nacionais, informou Marta. Ela e a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, selecionaram 25 parques para receber investimentos extras de forma a facilitar sua exploração turística. Outros três serão selecionados para serem modelos de auto-sustentação financeira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.