Houve vazamento de informações no caso AmBev/Interbrew

O presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Luiz Leonardo Cantidiano, afirmou hoje, na Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara, que "houve vazamento de informações" durante a operação de fusão da AmBev com a belga Interbrew antes do comunicado formal do negócio feito à bolsa de São Paulo no dia 2 de março. Ele disse que dia 27 de fevereiro circularam rumores sobre o negócio e que, em seguida, houve "uma movimentação atípica das ações da AmBev".Ele não informou se as investigações já chegaram aos culpados. "Não podemos ainda afirmar que os efeitos desse vazamento; é apenas uma investigação, não queremos prejulgar nada." Cantidiano informou que solicitou aos controladores da AmBev informações sobre quem participou do negócio e constatou que "mais de 100 pessoas tomaram conhecimento da operação".Ele disse que, se ficar caracterizado que alguém recebeu informação privilegiada, as punições vão de multa à advertência, suspensão ou inabilitação para atuação no mercado financeiro. Segundo ele, ainda não há data para o término da investigação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.