HP anuncia compra da Palm por US$ 1,2 bilhão

Com o negócio, fabricante de PCs entra de vez na disputa pelo mercado de celulares 'inteligentes'

Gustavo Chacra, CORRESPONDENTE, NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2010 | 00h00

A Hewlett-Packard (HP), gigante da tecnologia americana, anunciou ontem que chegou a um acordo para comprar por US$ 1,2 bilhão a fabricante de celulares Palm, que é considerada uma das mais inovadoras do mundo. Com a negociação, a HP visa a aumentar sua presença no mercado de telefonia móvel, especialmente na produção de celulares inteligentes.

"A inovação do sistema operacional da Palm oferece uma plataforma ideal para expandir a estratégia de mobilidade da HP, integrando múltiplos aparelhos móveis", afirmou em comunicado Todd Bradley, vice-presidente executivo da HP, se referindo aos planos de deixar celulares, computadores e outros aparelhos ainda mais interligados. Ele acrescentou que "o mercado de celulares inteligentes é grande, rentável e com rápido crescimento. As companhias que podem prover este tipo de integração controlarão uma parcela maior".

Uma das principais qualidades da Palm é o seu sistema operacional webOS, considerado um dos mais avançados para a telefonia celular e que disputa mercado com o Android, do Google. A dificuldade da empresa tem sido conseguir transformar este sistema em um líder de vendas nos aparelhos Pixi e Pre, que não decolaram. A Apple, com o iPhone, domina o setor de telefonia inteligente e os concorrentes da Palm enfrentam dificuldades para atrair consumidores. Para complicar, no ano passado a Palm lançou o Pre ao mesmo tempo que o novo iPhone era apresentado, perdendo a atenção da mídia, apesar de o celular ter sido elogiado por especialistas. Além disso, o Pre tem um acordo com a empresa de telefonia Sprint, com menos clientes do que AT&T, responsável pelo iPhone.

O acordo com a HP visa justamente a superação destes obstáculos. De um lado, a Palm oferecerá o seu conhecimento em sistemas operacionais em celulares. Do outro, a HP entrará com sua forte presença no mercado de tecnologia, além de milhões de clientes nos Estados Unidos e em outras partes do mundo.

Telefonia inteligente. A HP quer ter uma presença forte no mercado de celulares como a que já possui no de computadores. Assim como outras empresas do setor de informática, a HP teme ficar para trás no setor de celulares, onde a Apple e a Google conseguiram penetração forte na telefonia inteligente.

"Ficamos entusiasmados com o voto de confiança da HP na nossa liderança tecnológica, com o Palm webOS e produtos como o Palm Pre. A tradicional cultura de inovação da HP, aliada a seus recursos operacionais em escala global, tornam a parceria perfeita para o crescimento do webOS", disse em comunicado Jon Rubinstein, presidente e CEO da Palm, que será mantido no cargo.

A Palm viu suas ações perderem metade do valor no último ano. Logo depois do anúncio do acordo, os papéis voltaram a subir, em uma alta de 28% na Bolsa de Nova York. O valor pago pela HP teve um ágio de 23% por ação em relação ao preço de fechamento de ontem.

FICHA TÉCNICA

Surgida como unidade da US Robotics, a empresa se tornou independente em 2000{TEXT}

Faturamento US$ 735,9 milhões

Prejuízo US$ 753,5 milhões

Sede Sunnyvale

CEO Jon Rubinstein

Principal produto Palm Pre

Primeiro produto Palm Pilot

Cotação da ação US$ 4,63

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.