HP eleva em 50% a produção de PCs no País

Empresa fecha contrato para fabricar 100 mil computadores por mês

Reuters, O Estadao de S.Paulo

26 de setembro de 2007 | 00h00

A HP anunciou ontem uma parceria com a Foxconn, de Taiwan, para produzir computadores no Brasil. Pelo acordo, a Foxconn, que investiu R$ 40 milhões em uma fábrica na cidade de Jundiaí, em São Paulo, será a responsável pela produção dos computadores de mesa e notebooks da HP no Brasil. A fábrica tem capacidade para até 100 mil máquinas por mês. Até agora, a HP vinha produzindo uma média de 65 mil computadores por mês, também de forma terceirizada.Segundo Juan Pablo Jimenez, vice-presidente de PCs da HP no Brasil, a mudança é uma forma de a HP conseguir atender ao aumento da demanda por computadores que vem sendo registrada no Brasil. Uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra que, em 2006, foram vendidos 7,4 milhões de computadores no País, com projeção de 16% de crescimento este ano. A expectativa é que em 2007 as vendas de computadores ultrapassem, pela primeira vez, as de televisores. ''''O Brasil se tornou um campo fértil de negócios, e a demanda do País justifica nossos investimentos'''', disse Jimenez.A parceria anunciada ontem com a Foxconn é semelhante às que já existem entre as duas empresas em outros países. ''''Essa terceirização possibilita corte de custos, além de maior qualidade e velocidade na entrega de encomendas'''', disse o diretor de operações da HP no Brasil, Ricardo Pagani. Segundo a Foxconn, a nova fábrica vem para atender a um pedido específico da HP, que deve ter exclusividade no curto prazo.A nova unidade irá produzir, a princípio, apenas computadores de mesa e laptops. A produção no País de impressoras e aparelhos portáteis, como PDAs, está a cargo da Flextronics - que também era a responsável, até agora, pela produção dos computadores da HP. Pagani, no entanto, não descarta ''''uma possível futura centralização das produções com a Foxconn''''.MERCADOMesmo após apresentar novos computadores de baixo custo, a HP reiterou ontem sua estratégia de se concentrar na qualidade do portfólio - ou seja, não pretende entrar em uma guerra de preços para conseguir uma fatia maior do mercado. ''''Pensamos que o consumidor irá preferir gastar um pouco mais em nossos computadores, que duram tecnologicamente mais, do que em um computador mais barato, que logo precisa ser trocado'''', disse Jimenez.A HP disputa com a Dell a liderança do mercado mundial de PCs. Segundo dados da consultoria IDC, a Dell foi a primeira colocada no ano passado, com vendas de 39,1 milhões de computadores, enquanto a HP vendeu 38,8 milhões - este ano, a projeção é que essas posições se invertam. No Brasil, entretanto, a liderança da venda de computadores está com uma empresa local, a Positivo. A HP ocupa a segunda posição.Segundo dados apresentados pela empresa, a HP cresceu 33% no mercado brasileiro no ano passado. Contudo, para 2007, a companhia preferiu não fazer projeções. NÚMEROS100 milcomputadores por mês é a capacidade de produção da fábrica da Foxconn, que será a responsável agora pela produção dos PCs da HP no BrasilR$ 40 milhõesforam investidos na fábrica, construída para aproveitar o crescimento das vendas de PCs no País

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.