Hrinak nega pressão para antecipar negociações para Alca

A embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Donna Hrinak, negou hoje que os Estados Unidos pretendam antecipar o cronograma de negociações para a Área de Livre Comércio das Américas (Alca). De acordo com ela, algumas discussões neste sentido começaram a ser feitas dentro da Organizações dos Estados Americanos (OEA) sobre a possibilidade de uma reunião de cúpula já no primeiro semestre de 2003. No entanto, conforme a embaixadora, não se trata de um encontro para avançar as negociações. "Acho que isso seria impossível, porque o calendário já está muito apertado." Hrinak afirmou que a proposta partiu do Canadá e teria o objetivo de discutir a governabilidade dos países envolvidos no bloco, como um requisito para ter economias abertas e negociar acordos certos e confiáveis. "Não serviria para avançar calendário. Não sei de onde vem essa idéia", afirmou. Indagada sobre a realização do plebiscito contra a Alca patrocinado pela Confederação dos Bispos do Brasil (CNBB), Donna Hrinak informou que pretende receber amanhã um grupo das pessoas que promoveram o protesto em Brasília. "Temos que manter este diálogo, porque alguns grupos vão sair em desvantagem nas negociações, assim como alguns grupos nos Estados Unidos sofreram com a aprovação do Nafta", disse. Donna Hrinak esteve em Belo Horizonte participando de um almoço com empresários promovido pela Câmara Americana de Comércio (Amcham) na capital mineira. Durante o discurso, a Alca foi o tema dominante e a embaixadora conclamou os presentes a apoiar o avanço das negociações do acordo. Hrinak aproveitou a visita a Minas para falar do centenário de Juscelino Kubistchek. "Os brasileiros precisam superar qualquer resquício de medo da competição. Espero tê-los como aliados nesta jornada, neste projeto digno de JK e que poderá garantir uma vida melhor aos nossos cidadãos." A embaixadora participou também de um café da manhã com empresários da Federação das Indústrias do Estado (Fiemg) e fez uma visita de cortesia ao governador Itamar Franco (sem partido).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.