AFP
AFP

HSBC confirma que pode vender unidade brasileira

Bancos brasileiros confirmaram interesse na compra do sétimo maior banco do País, que possui ativos de cerca de R$ 168 bilhões 

O Estado de S. Paulo

22 Maio 2015 | 07h20

O banco HSBC está explorando a possibilidade de vender sua unidade brasileira após demonstrações de interesse no negócio terem aumentado e Itaú-Unibanco e Santander Brasil terem dito que considerariam a compra. A instituição disse nesta sexta-feira, 22, que está "explorando várias opções estratégicas", incluindo a venda de suas operações brasileiras. Nenhuma decisão sobre uma transação foi tomada até agora, disse o banco em um curto comunicado.O presidente-executivo do HSBC, Stuart Gulliver, disse em fevereiro que os quatro negócios problemáticos da instituição financeira - Brasil, México, Turquia e Estados Unidos - precisavam melhorar ou serem vendidos.

O banco iniciou processos de venda no Brasil e na Turquia, mas os negócios nos EUA e no México devem ser mantidos, disseram fontes. O HSBC deve selecionar um comprador preferencial para sua unidade brasileira a partir do mês que vem, segundo informou a Reuters em maio. As ofertas pela unidade podem não ultrapassar seu valor contábil, estimado em cerca de US$ 3,3 bilhões.

Além do Santander Brasil, também houve interesse de Bradesco, do BTG Pactual, do canadense Bank of Nova Scotia, do chinês ICBC e do Itaú-Unibanco. O diretor de relações com investidores do Itaú Unibanco, Marcelo Kopel, confirmou ao Broadcast, serviço de informações da Agência Estado, que a instituição também está interessada em comprar o HSBC Brasil. O executivo não deu detalhes sobre valor do ativo e o montante a ser proposto pela instituição financeira.

“Estamos olhando não só essa operação, mas inúmeras no País e lá fora. Ao nosso ver, participamos do processo competitivo, mas pode acontecer que outros bancos sejam mais agressivos”, disse, durante uma reunião com analistas e investidores na Apimec-MG. Ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, o executivo afirmou que ainda não formalizou a proposta. “Na verdade, estamos seguindo o processo deles. O timing quem dita são eles.”

Com cerca de R$ 168 bilhões em ativos, o HSBC é o sétimo maior banco do País, de acordo com dados do Banco Central. Mundialmente, o banco está envolvido em uma série de escândalos e tem apresentado fracos resultados financeiros. Só no ano passado, registrou prejuízo de R$ 500 milhões no Brasil.

As unidades brasileira e turca são grandes negócios, mas não estão entre os cinco principais bancos nem no Brasil nem na Turquia. O HSBC teve prejuízo de US$ 247 milhões no Brasil e de US$ 64 milhões na Turquia no ano passado, uma vez que as perdas com as unidades de varejo ofuscaram os lucros com seus bancos de investimentos nos dois países.

Gulliver deve dar mais detalhes sobre potenciais vendas em 9 de junho, como parte de sua tentativa de reduzir custos e simplificar o banco para melhorar a rentabilidade e evitar problemas de compliance. (Com informações da Agência Estado e da Reuters).

Mais conteúdo sobre:
BANCOSHSBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.