HSBC desativa conta Poupança Movimento

Na semana passada, o Banco HSBC resolveu desativar a "Poupança Movimento", aplicação vinculada à conta corrente que recebia automaticamente o dinheiro depositado pelo correntista. "Informamos por correspondência todos os clientes que possuíam a aplicação. Esclarecemos os motivos do cancelamento do produto e, até o momento, não recebemos reclamações nem dúvidas sobre o procedimento", informa Pedro Marcos Boszczovski, gerente da área de produtos do HSBC. A iniciativa do banco visa a seguir a determinação do Banco Central (BC), que proíbe a a transferência automática de recursos de depósitos à vista e de poupança para qualquer modalidade de investimento sem prévia e expressa autorização do cliente. "Resolvemos interromper a aplicação para respeitar a norma do BC, mas principalmente porque a Poupança Movimento estava sem regulamentação", esclarece Boszczovski. Segundo ele, o produto foi criado no final do ano passado e adotado em todas as contas correntes de pessoas físicas. "Entretanto, desde o primeiro semestre desse ano, o banco só mantinha o produto para clientes que autorizaram formalmente a aplicação", diz o gerente. A atitude do HSBC explica-se sobretudo por causa da audiência pública lançada pelo BC no último dia 09. O edital da audiência institui uma espécie de Código de Defesa dos Clientes de Instituições Bancárias, que será votado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em novembro. Nele, consta novamente o veto à realização de transferências sem a autorização do correntista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.