HSBC diz que lucro sobe, mas encargos com crédito saltam

O maior banco da Europa, o HSBC,anunciou nesta segunda-feira que seu lucro no primeirotrimestre ficou acima do obtido um ano antes, puxado porcrescimento na Ásia que ajudou a minimizar o impacto de mais de5 bilhões de dólares em perdas com crédito e empréstimosimobiliários nos Estados Unidos. O HSBC informou em comunicado que é cada vez mais provávelque a economia dos EUA entrará em recessão este ano. A instituição divulgou que encargo com crédito relacionadoa sua unidade norte-americana de financiamento ao consumidorsomou 3,2 bilhões de dólares no primeiro trimestre. Além disso,o banco registrou como baixa contábil quase que a mesma quantiapor conta de deterioração no valor de ativos de risco em meio àcrise de crédito. Os encargos vinculados a empréstimos imobiliários nos EUAficaram em linha com as expectativas e 4,6 bilhões de dólaresmenos que no trimestre anterior, mas o nível da perda foi odobro do patamar registrado no primeiro trimestre do anopassado. O banco divulga seus resultados completos em 4 de agosto.As ações da instituição subiam 1,8 por cento na Europa às 8h(horário de Brasília). O HSBC informou que está satisfeito com o progresso que vemtendo em reverter os números de hipotecas nos EUA e na reduçãode créditos duvidosos, mas o presidente-executivo dainstituição, Michael Geoghegan, previu que uma melhor nomercado imobiliário norte-americano será "um evento de 2009" enão deve ocorrer este ano. "Está desacelerando (os créditos duvidosos) em vez deparando", disse Geoghegan a em teleconferência a jornalistas. "Não sabemos se o mercado está desacelerando porque aeconomia está melhorando ou se é uma coisa sazonal. Eu suspeitoque seja mais sazonal", disse o executivo. (Por Steve Slater e Clara Ferreira-Marques)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.