Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Hub de Hidrogênio verde no Ceará atrai a empresa de oxigênio White Martins

A empresa é a segunda a aderir ao projeto, que já conta com a australiana Enegix; Estado brasileiro tem as condições necessárias para a produção de hidrogênio verde

Denise Luna, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2021 | 05h00

RIO - A White Martins assinou um memorando de entendimento com o Complexo de Pecém, no Ceará, para oficializar interesse em participar do Hub de Hidrogênio Verde Pecém-Ceará, lançado em fevereiro pelo governo cearense. A empresa é a segunda a aderir ao projeto, que já conta com a australiana Enegix.

A parceria pretende estabelecer e desenvolver as potencialidades da produção local, voltada prioritariamente à exportação para a Europa. O Ceará é um dos maiores produtores de energia eólica no Brasil e tem também potencial para energia solar, condição essencial para a produção de hidrogênio verde – para ser assim classificado, o produto precisa ter origem renovável e ser obtido sem a emissão de carbono.

Com a assinatura do memorando, o Complexo do Pecém prestará o suporte para mapear novas oportunidades de negócios para a produção e o fornecimento de hidrogênio verde pela White Martins, informou o governo do Ceará.

“Identificamos nessa parceria a possibilidade de inovar na produção e no fornecimento de energia limpa com investimentos na cadeia de valor do hidrogênio verde, aproveitando a sinergia da planta de gases do ar da White Martins já existente no Complexo Industrial e Portuário do Pecém”, afirmou, em nota, o diretor de Hidrogênio e Gás Natural Liquefeito da White Martins, Guilherme Ricci.

Sociedade

O Complexo do Pecém tem como seus acionistas o governo do Ceará (70%) e o Porto de Roterdã (30%), na Holanda. A parceria é apontada como uma vantagem competitiva ao projeto cearense, já que o Porto de Roterdã também está desenvolvendo um hub de hidrogênio em grande escala em seu complexo portuário para produção, importação, aplicação e transporte de hidrogênio para a Europa. “Assim, o projeto a ser desenvolvido entre a White Martins, seus parceiros e o Complexo do Pecém poderá ter o Porto de Roterdã como o porto de entrada na Europa”, informou o governo do Ceará.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.