Hubner rebate críticas sobre fornecimento de energia

O ministro interino de Minas e Energia, Nelson Hubner, rebateu hoje as recentes declarações do presidente da Companhia Vale do Rio Doce, Roger Agnelli, de que a empresa poderia vir a construir fábricas de alumínio fora do Brasil, devido a incertezas quanto ao fornecimento futuro de energia elétrica."A Vale é um consumidor livre, portanto ela é responsável por sua energia", disse. O chamado mercado livre é formado por grandes consumidores (indústrias ou shoppings, por exemplo) que decidem não mais comprar sua energia das distribuidoras, mas contratar o fornecimento junto aos produtores."Se a Vale ficasse no mercado cativo (que é atendido pelas distribuidoras) nós teríamos de garantir nos leilões a energia que ela declarar que precisa", acrescentou o ministro. Hubner disse ainda que a Vale era sócia de uma usina hidrelétrica que está em construção na divisa de Santa Catarina com o Rio Grande do Sul, a de Foz do Chapecó (885 megawatts), mas que decidiu vender sua participação no empreendimento.O ministro interino destacou que outros grandes consumidores, como o grupo Votorantim, estão adquirindo usinas para garantir seu fornecimento. Ele disse que pretende convidar, em breve, a diretoria da Vale para conversar sobre as preocupações da empresa quanto ao futuro do abastecimento de energia no País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.