Humorista Marcelo Madureira é agredido por manifestantes no Rio

Madureira tentava gravar um vídeo em frente à Alerj quando foi cercado e hostilizado durante protesto

Márcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2017 | 18h28

RIO - O humorista Marcelo Madureira foi agredido e hostilizado por manifestantes na tarde desta sexta-feira, 28, no Centro do Rio. Ele tentava gravar um vídeo em frente à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), onde estavam se concentrando os participantes de um ato que aconteceria no início da noite, na Cinelândia, quando foi cercado.

AO VIVO Acompanhe as manifestações pelo País

Madureira foi expulso do local aos gritos de "fascista" e "golpista". Acompanhado de um cinegrafista, ele levou pelo menos dois empurrões pelas costas enquanto deixava a Avenida Primeiro de Março. Mais à frente, ainda foi cercado por um grupo de homens. Um deles, trajando uma camiseta com o símbolo do Fluminense, chutou Marcelo Madureira também pelas costas.

O Centro do Rio foi palco de um confronto de grandes proporções no fim da tarde, depois que manifestantes mascarados jogaram objetos em policiais em frente Alerj. A confusão se espalhou pelas vias próximas, chegando às Avenidas Rio Branco, Presidente Vargas e Praça da Candelária. Policiais do Batalhão de Choque usaram escudos, bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo, além de dispararem tiros de bala de borracha. 

O acesso ao metrô na Cinelândia foi fechado. Isso porque o gás lacrimogêneo lançado pela Polícia Militar para dispersar os manifestantes acabou atingindo pessoas que estavam no interior da estação. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.